Inicio / Notícias / educacao_cultura_esportes
Notícia
Secretaria debate a educação como política de Estado com gestores do Médio Sertão Sergipano
A reunião aconteceu de forma remota, pela plataforma Zoom
Quinta-Feira, 22 de Julho de 2021

Em mais um encontro da série “Diálogos com o Secretário”, o gestor da pasta da Educação Estadual, professor Josué Modesto dos Passos Subrinho, conversou na tarde de quarta-feira, 21, com os diretores de unidades de ensino da rede estadual circunscritas à Diretoria Regional de Educação (DRE 5), no Médio Sertão Sergipano. A reunião aconteceu de forma remota, pela plataforma Zoom, e teve como tema central “Educação como Política de Estado e indicadores pedagógicos”.

Em sua apresentação, o secretário Josué Modesto relembrou a política de visitas às escolas e reuniões com os gestores que vinham sendo feitas e que agora estão sendo retomadas. Ele destacou a importância do papel de líder que os diretores de escolas exercem em suas comunidades e ressaltou que esse é um momento histórico em que a Educação está sendo concretizada como política de Estado. “Um primeiro passo para que isso acontecesse foi a seleção para diretores escolares e de diretorias regionais. Isso afasta aquela prática que existia antigamente de que os cargos de direção eram preenchidos por indicação política. Essa foi uma grande virada, e esperamos que isso tenha continuidade no futuro, a fim de que tenhamos uma melhoria das escolas”, disse.

Outro compromisso assumido e concretizado para a transformação da Educação como Política de Estado foi a aprovação da lei do professor substituto. “Toda escola tem a necessidade dessa figura, já que em algum momento algum professor pode se afastar temporariamente. Nós estamos aperfeiçoando o nosso sistema de contratação de professor substituto, para que o coloquemos em sala de aula o mais rápido possível, a tempo de substituir o professor que, por algum motivo, precisar se afastar temporariamente”, explicou.

Ainda em sua apresentação, o secretário Josué Modesto mostrou aos gestores escolares os índices de alunos em risco escolar, preenchimento dos diários eletrônicos e distorção idade/série. Ele falou também sobre algumas ações da Seduc, como o regime de colaboração entre o Estado e os municípios, Programa Alfabetizar pra Valer, Sistema de Avaliação da Educação Básica de Sergipe (Saese), ICMS Social, Programa Sergipe na Idade Certa (Prosic), Educação de Jovens e Adultos (EJA), Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb) versus indicadores pedagógicos e o Programa Educação Mais Conectada.

Diálogo com o secretário

No diálogo com o secretário, o gestor da Regional e das escolas agradeceram a oportunidade e também falaram sobre os seus próprios indicadores pedagógicos. Muitos destacaram as suas boas expectativas ante o retorno das aulas presenciais, previstas para o dia 17 de agosto. O diretor da DRE 5, João Luiz Andrade Dória, mostrou-se satisfeito com o encontro. “Esse é um momento ímpar de diálogo aberto e franco, em que temos a oportunidade de expor as nossas dificuldades, desafios e os avanços que temos em nossas escolas. É importante termos a Educação como Política de Estado. Os nossos indicadores nos mostram que precisamos sempre buscar melhorar. Quero dizer que nós não podemos abrir mão do retorno das aulas presenciais, o qual se faz necessário para a melhoria da aprendizagem dos estudantes”, declarou

A diretora Ana Carla Barros do Bomfim, do Colégio Estadual Manoel Alcino do Nascimento, também elogiou a iniciativa do encontro e reafirmou a necessidade do retorno das aulas no modo presencial. “É muito importante esse momento em que podemos estar tão próximos à figura do secretário de Educação do Estado. Eu sempre digo que ser diretor de escola é abraçar desafios. No nosso alunado, nem todos têm sinal de internet, e esse é um dos grandes desafios que enfrentamos hoje com as aulas remotas. Os estudantes têm a necessidade da assistência dos professores, por isso acreditamos que, com o retorno das aulas presenciais, vão melhorar muito os nossos índices pedagógicos”, afirmou.

Tony Anselmo dos Santos, diretor da Escola Estadual Nações Unidas, também compartilhou sua opinião. “Esse período de pandemia prejudicou bastante o aprendizado dos alunos. Para esses, nós entregamos todos os materiais impressos, mas eles precisam de uma assistência. A gente percebe que o retorno às aulas presenciais é importante. Nós pedimos que esse retorno aconteça, realmente, para que os índices de aprendizagem melhorem”, disse.

Notícia
/ Notícias / educacao_cultura_esportes

Secretaria debate a educação como política de Estado com gestores do Médio Sertão Sergipano
A reunião aconteceu de forma remota, pela plataforma Zoom
Quinta-Feira, 22 de Julho de 2021

Em mais um encontro da série “Diálogos com o Secretário”, o gestor da pasta da Educação Estadual, professor Josué Modesto dos Passos Subrinho, conversou na tarde de quarta-feira, 21, com os diretores de unidades de ensino da rede estadual circunscritas à Diretoria Regional de Educação (DRE 5), no Médio Sertão Sergipano. A reunião aconteceu de forma remota, pela plataforma Zoom, e teve como tema central “Educação como Política de Estado e indicadores pedagógicos”.

Em sua apresentação, o secretário Josué Modesto relembrou a política de visitas às escolas e reuniões com os gestores que vinham sendo feitas e que agora estão sendo retomadas. Ele destacou a importância do papel de líder que os diretores de escolas exercem em suas comunidades e ressaltou que esse é um momento histórico em que a Educação está sendo concretizada como política de Estado. “Um primeiro passo para que isso acontecesse foi a seleção para diretores escolares e de diretorias regionais. Isso afasta aquela prática que existia antigamente de que os cargos de direção eram preenchidos por indicação política. Essa foi uma grande virada, e esperamos que isso tenha continuidade no futuro, a fim de que tenhamos uma melhoria das escolas”, disse.

Outro compromisso assumido e concretizado para a transformação da Educação como Política de Estado foi a aprovação da lei do professor substituto. “Toda escola tem a necessidade dessa figura, já que em algum momento algum professor pode se afastar temporariamente. Nós estamos aperfeiçoando o nosso sistema de contratação de professor substituto, para que o coloquemos em sala de aula o mais rápido possível, a tempo de substituir o professor que, por algum motivo, precisar se afastar temporariamente”, explicou.

Ainda em sua apresentação, o secretário Josué Modesto mostrou aos gestores escolares os índices de alunos em risco escolar, preenchimento dos diários eletrônicos e distorção idade/série. Ele falou também sobre algumas ações da Seduc, como o regime de colaboração entre o Estado e os municípios, Programa Alfabetizar pra Valer, Sistema de Avaliação da Educação Básica de Sergipe (Saese), ICMS Social, Programa Sergipe na Idade Certa (Prosic), Educação de Jovens e Adultos (EJA), Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb) versus indicadores pedagógicos e o Programa Educação Mais Conectada.

Diálogo com o secretário

No diálogo com o secretário, o gestor da Regional e das escolas agradeceram a oportunidade e também falaram sobre os seus próprios indicadores pedagógicos. Muitos destacaram as suas boas expectativas ante o retorno das aulas presenciais, previstas para o dia 17 de agosto. O diretor da DRE 5, João Luiz Andrade Dória, mostrou-se satisfeito com o encontro. “Esse é um momento ímpar de diálogo aberto e franco, em que temos a oportunidade de expor as nossas dificuldades, desafios e os avanços que temos em nossas escolas. É importante termos a Educação como Política de Estado. Os nossos indicadores nos mostram que precisamos sempre buscar melhorar. Quero dizer que nós não podemos abrir mão do retorno das aulas presenciais, o qual se faz necessário para a melhoria da aprendizagem dos estudantes”, declarou

A diretora Ana Carla Barros do Bomfim, do Colégio Estadual Manoel Alcino do Nascimento, também elogiou a iniciativa do encontro e reafirmou a necessidade do retorno das aulas no modo presencial. “É muito importante esse momento em que podemos estar tão próximos à figura do secretário de Educação do Estado. Eu sempre digo que ser diretor de escola é abraçar desafios. No nosso alunado, nem todos têm sinal de internet, e esse é um dos grandes desafios que enfrentamos hoje com as aulas remotas. Os estudantes têm a necessidade da assistência dos professores, por isso acreditamos que, com o retorno das aulas presenciais, vão melhorar muito os nossos índices pedagógicos”, afirmou.

Tony Anselmo dos Santos, diretor da Escola Estadual Nações Unidas, também compartilhou sua opinião. “Esse período de pandemia prejudicou bastante o aprendizado dos alunos. Para esses, nós entregamos todos os materiais impressos, mas eles precisam de uma assistência. A gente percebe que o retorno às aulas presenciais é importante. Nós pedimos que esse retorno aconteça, realmente, para que os índices de aprendizagem melhorem”, disse.