Inicio / Notícias / seguranca-publica
Notícia
Servidores da Cogerp são aprovados em especializações da Polícia Federal
Cursos têm duração de 18 meses com aulas remotas e presenciais
Quarta-Feira, 22 de Dezembro de 2021

Três servidores da Coordenadoria Geral de Perícias (Cogerp), lotados no Instituto de Criminalística (IC), foram aprovados para cursarem especialização na Academia Nacional de Polícia, em Brasília (DF). O perito Charles Vargas Lopes irá cursar a especialização em Criminalística Aplicada a Locais de Crime, já o perito Epaminondas Gonzaga Lima Neto cursará a especialização em Documentoscopia. O papiloscopista José Nilton dos Santos fará a especialização em Identificação Humana.

A aprovação dos servidores envolveu uma seleção nacional, na qual se avaliou a elaboração de um trabalho acadêmico sob a forma de ensaio científico, a análise de memorial e o currículo Lattes. Os cursos de especialização terão início ainda no primeiro trimestre do próximo ano, com as disciplinas ministradas de forma remota e também presencial. Os cursos têm duração de 18 meses e serão concluídos com a apresentação do trabalho de conclusão de curso.

O papiloscopista José Nilton, que é físico médico, destacou que a especialização é fundamental para a ampliação do conhecimento técnico que será aplicado no trabalho diário da Cogerp. “É a oportunidade de aprender melhores técnicas em identificação humana para melhor atender a sociedade sergipana, aplicando melhores procedimentos e qualificando o trabalho", salientou.

O perito criminalístico Epaminondas Gonzaga, que é mestre em Engenharia, entende que o curso de Especialização proporciona uma troca de experiências entre a perícia de todas as partes do país. "É de importância única, tanto promover o contato e troca de experiências com profissionais de todo o Brasil, quanto pelas possibilidades de aplicar o conhecimento adquirido na modernização das atividades desenvolvidas pela Cogerp", reforçou.

O perito Charles Vargas, que é pós-doutor em Neurociências e analista de manchas de sangue, evidenciou que a capacitação constante é essencial para o aprimoramento das atividades da perícia. “É natural a constante busca pelo aperfeiçoamento e evolução no meio técnico-científico, integrando os conhecimentos do que há de melhor na perícia para as investigações e a justiça, culminando em um serviço com credibilidade para a sociedade", destacou.

As especializações promoverão o contato e troca de experiências com profissionais de todo o país, possibilitando a fluidez do conhecimento e a aplicação de diferentes técnicas metodológicas, a fim de padronizar e modernizar as atividades desenvolvidas pela perícia sergipana.

Notícia
/ Notícias / seguranca-publica

Servidores da Cogerp são aprovados em especializações da Polícia Federal
Cursos têm duração de 18 meses com aulas remotas e presenciais
Quarta-Feira, 22 de Dezembro de 2021

Três servidores da Coordenadoria Geral de Perícias (Cogerp), lotados no Instituto de Criminalística (IC), foram aprovados para cursarem especialização na Academia Nacional de Polícia, em Brasília (DF). O perito Charles Vargas Lopes irá cursar a especialização em Criminalística Aplicada a Locais de Crime, já o perito Epaminondas Gonzaga Lima Neto cursará a especialização em Documentoscopia. O papiloscopista José Nilton dos Santos fará a especialização em Identificação Humana.

A aprovação dos servidores envolveu uma seleção nacional, na qual se avaliou a elaboração de um trabalho acadêmico sob a forma de ensaio científico, a análise de memorial e o currículo Lattes. Os cursos de especialização terão início ainda no primeiro trimestre do próximo ano, com as disciplinas ministradas de forma remota e também presencial. Os cursos têm duração de 18 meses e serão concluídos com a apresentação do trabalho de conclusão de curso.

O papiloscopista José Nilton, que é físico médico, destacou que a especialização é fundamental para a ampliação do conhecimento técnico que será aplicado no trabalho diário da Cogerp. “É a oportunidade de aprender melhores técnicas em identificação humana para melhor atender a sociedade sergipana, aplicando melhores procedimentos e qualificando o trabalho", salientou.

O perito criminalístico Epaminondas Gonzaga, que é mestre em Engenharia, entende que o curso de Especialização proporciona uma troca de experiências entre a perícia de todas as partes do país. "É de importância única, tanto promover o contato e troca de experiências com profissionais de todo o Brasil, quanto pelas possibilidades de aplicar o conhecimento adquirido na modernização das atividades desenvolvidas pela Cogerp", reforçou.

O perito Charles Vargas, que é pós-doutor em Neurociências e analista de manchas de sangue, evidenciou que a capacitação constante é essencial para o aprimoramento das atividades da perícia. “É natural a constante busca pelo aperfeiçoamento e evolução no meio técnico-científico, integrando os conhecimentos do que há de melhor na perícia para as investigações e a justiça, culminando em um serviço com credibilidade para a sociedade", destacou.

As especializações promoverão o contato e troca de experiências com profissionais de todo o país, possibilitando a fluidez do conhecimento e a aplicação de diferentes técnicas metodológicas, a fim de padronizar e modernizar as atividades desenvolvidas pela perícia sergipana.