Inicio / Notícias / educacao_cultura_esportes
Notícia
Colégio Estadual Juscelino Kubitschek intensifica rotina de aulas não presenciais
Os encontros ocorrem por meio da plataforma Google Meet, serviço de comunicação por vídeo, além do WhatsApp
Sexta-Feira, 31 de Julho de 2020

As ações do Colégio Estadual Presidente Juscelino Kubitshek, escola situada em Nossa Senhora do Socorro, têm motivado a comunidade escolar no que tange as aulas não presenciais. Com o auxílio do serviço de comunicação por vídeo, plataforma Google Meet, as atividades escolares ganham novos significados, estimulando o compromisso dos estudantes, professores e equipe diretiva. Com 1.542 alunos matriculados no ano letivo de 2020, o Juscelino conta com turmas do Ensino Fundamental - anos finais, Ensino Médio convencional, Novo Ensino Médio, além de turma de Correção de Fluxo.

Dedicada a vencer os desafios, a professora de Matemática para o Ensino Fundamental, Kátia Maria Aguiar Barreto, conta que começou a transmitir o conteúdo das aulas em um grupo de WhatsApp por meio do qual os alunos acompanhavam as vídeosaulas e resolviam as atividades. “A medida que eles iam tendo dúvidas e me pediam para explicar, eu ficava angustiada pois como solucionar os questionamentos sem que vissem a explicação? Então eu resolvia o passo a passo da questão e enviava para o grupo. Mas a minha sensação é que eu estava passando para eles a “coisa pronta”. Por isso resolvi comprar um quadro branco (pequeno) e usar o Google Meet na tentativa de melhorar essas aulas”, conta ela.

De acordo com Kátia Aguiar, a experiência tem sido maravilhosa para ela e para os alunos, já que eles têm participado com uma boa frequência, interagem para tirar as dúvidas e têm enviado às atividades prontas para o grupo frequentemente o que antes era raro. “Nessa época de pandemia em que estamos todos assustados e com medo, essa foi uma alternativa maravilhosa, pois apesar dos nosso alunos terem sido afastados do ambiente escolar, eles continuam tendo acesso ao conhecimento, além do contato com colegas e professores ainda que a distância”, frisou Kátia Aguiar.

Para o professor de Língua Portuguesa e Inglês, Wesley Siqueira Cruz, o momento também tem sido desafiador. “Diante da situação atual, devemos criar meios para que possamos ficar próximos aos alunos e eu, particularmente, tenho usado o Google Meet e o Google Classroom para interagir. Durante as atividades, a interação é feita através de músicas interpretações de texto debate e dentro de sistemas trabalhamos gramática, conhecimentos da Língua Portuguesa e em Inglês”, disse.

Ainda de acordo com ele as atividades são aplicadas com antecedência para que os estudantes possam responder e a correção ser feita através das ferramentas mencionadas anteriormente. “Nossa intenção é justamente fazer com que eles se sintam um pouco acolhidos e que esqueçam um pouco o que tem acontecido ultimamente. Os alunos têm gostado bastante dessa interação ao vivo, pois eles se sentem parte das aulas. A maioria participa de forma efetiva das atividades e das aulas online”, concluiu.

Notícia
/ Notícias / educacao_cultura_esportes

Colégio Estadual Juscelino Kubitschek intensifica rotina de aulas não presenciais
Os encontros ocorrem por meio da plataforma Google Meet, serviço de comunicação por vídeo, além do WhatsApp
Sexta-Feira, 31 de Julho de 2020

As ações do Colégio Estadual Presidente Juscelino Kubitshek, escola situada em Nossa Senhora do Socorro, têm motivado a comunidade escolar no que tange as aulas não presenciais. Com o auxílio do serviço de comunicação por vídeo, plataforma Google Meet, as atividades escolares ganham novos significados, estimulando o compromisso dos estudantes, professores e equipe diretiva. Com 1.542 alunos matriculados no ano letivo de 2020, o Juscelino conta com turmas do Ensino Fundamental - anos finais, Ensino Médio convencional, Novo Ensino Médio, além de turma de Correção de Fluxo.

Dedicada a vencer os desafios, a professora de Matemática para o Ensino Fundamental, Kátia Maria Aguiar Barreto, conta que começou a transmitir o conteúdo das aulas em um grupo de WhatsApp por meio do qual os alunos acompanhavam as vídeosaulas e resolviam as atividades. “A medida que eles iam tendo dúvidas e me pediam para explicar, eu ficava angustiada pois como solucionar os questionamentos sem que vissem a explicação? Então eu resolvia o passo a passo da questão e enviava para o grupo. Mas a minha sensação é que eu estava passando para eles a “coisa pronta”. Por isso resolvi comprar um quadro branco (pequeno) e usar o Google Meet na tentativa de melhorar essas aulas”, conta ela.

De acordo com Kátia Aguiar, a experiência tem sido maravilhosa para ela e para os alunos, já que eles têm participado com uma boa frequência, interagem para tirar as dúvidas e têm enviado às atividades prontas para o grupo frequentemente o que antes era raro. “Nessa época de pandemia em que estamos todos assustados e com medo, essa foi uma alternativa maravilhosa, pois apesar dos nosso alunos terem sido afastados do ambiente escolar, eles continuam tendo acesso ao conhecimento, além do contato com colegas e professores ainda que a distância”, frisou Kátia Aguiar.

Para o professor de Língua Portuguesa e Inglês, Wesley Siqueira Cruz, o momento também tem sido desafiador. “Diante da situação atual, devemos criar meios para que possamos ficar próximos aos alunos e eu, particularmente, tenho usado o Google Meet e o Google Classroom para interagir. Durante as atividades, a interação é feita através de músicas interpretações de texto debate e dentro de sistemas trabalhamos gramática, conhecimentos da Língua Portuguesa e em Inglês”, disse.

Ainda de acordo com ele as atividades são aplicadas com antecedência para que os estudantes possam responder e a correção ser feita através das ferramentas mencionadas anteriormente. “Nossa intenção é justamente fazer com que eles se sintam um pouco acolhidos e que esqueçam um pouco o que tem acontecido ultimamente. Os alunos têm gostado bastante dessa interação ao vivo, pois eles se sentem parte das aulas. A maioria participa de forma efetiva das atividades e das aulas online”, concluiu.