Inicio / Notícias / educacao_cultura_esportes
Notícia
Centro de Apoio ao Surdo e Núcleo de Atividades de Altas Habilidades/ Superdotação da Seduc completam 15 anos de atividades
Por meio deste serviço, a Seduc tem ofertado curso gratuito na área de Língua Brasileira de Sinais (Libras), com certificação de até 250h, dividido em quatro módulos e identificado e acompanhado pedagogicamente alunos com altas habilidades e superdotação
Terça-Feira, 23 de Novembro de 2021

A Secretaria de Estado da Educação, do Esporte e da Cultura (Seduc) comemorou nesta segunda-feira, 22 de novembro, os 15 anos de inauguração do Centro de Apoio ao Surdo (CAS) e do Núcleo de Atividades de Altas Habilidades/Superdotação (NAAH/S), vinculados ao Serviço de Educação Inclusiva (Seinc). Por meio deste serviço, a Seduc tem ofertado curso gratuito na área de Língua Brasileira de Sinais (Libras), com certificação de até 250h, dividido em quatro módulos e identificado e acompanhado pedagogicamente alunos com altas habilidades e superdotação.

De acordo com a coordenadora Tálita Cavalcanti, o CAS é um programa do Governo Federal que, em 2005, foi instituído em vários estados do Brasil para favorecer a difusão da Língua Brasileira de Sinais (Libras). Em 22 de novembro de 2006, o CAS e o NAAH/S foram fundados na rede estadual de ensino de Sergipe, na época localizado no Edifício Estado de Sergipe, e sob a coordenação da professora Ada Augusta Celestino Bezerra. Nesses 15 anos de atuação, o CAS tem promovido diversas formações de instrutores, cursos de Libras para servidores da Educação e para o público em geral, curso de Tradutor e Intérprete de Libras, formações de Atendimento Educacional Especializado, entre outras ações. Foram realizados também eventos comemorativos ao Dia Nacional da Luta da Pessoa com Deficiência, Dia Nacional do Surdo, entre outras datas especiais.

Desde a sua inauguração até hoje, o CAS promoveu na área de Libras a formação de 2.677 alunos em cursos básicos, 29 professores, 79 tradutores e instrutores e 255 intérpretes. “É importante o trabalho do CAS para difundir a Língua Brasileira de Sinais, a fim de que as pessoas possam interagir com surdos. É tão gratificante quando um surdo vem até nós e relata que foi a algum órgão público e o servidor que o atendeu sabia Libras e pôde acolhê-lo. O surdo é um cidadão e tem direito à comunicação e a acesso aos serviços. Quanto mais pessoas aprendem a Libras, mais acessibilidade a gente dá às pessoas com surdez”, disse Tálita Cavalcanti.

Atualmente o CAS e o NAAH/S funcionam na sede da Seduc. O CAS conta com quatro intérpretes e dois instrutores. As formações e o trabalho realizado pelo CAS são tão importantes que podem ser exemplificados com a convocação feita pela Seduc de tradutores e intérpretes de Libras para atuarem em aulas remotas, durante o período da pandemia da Covid-19, época em que as aulas aconteceram de forma online. Neste ano de 2021, as formações continuam. Dessa vez foi ofertando o curso de Libras Básico. A turma foi composta por um quantitativo máximo de 25 vagas, todas destinadas aos servidores lotados na Seduc. Foi ofertado também o curso de tradutor e intérprete, com 30 vagas. Outra atuação importante foi a mobilização de 17 intérpretes que atuaram no último aulão de revisão para o Enem, promovido pelo Curso Pré-Universitário da Seduc no último dia 19 de novembro, levando aos estudantes surdos os conhecimentos transmitidos pelos professores.

Pela primeira vez na história também foram formados instrutores de Libras em nível superior para ensinar Libras como primeira língua dentro das salas de recursos multifuncionais. Os profissionais em formação foram previamente aprovados no Processo Seletivo Simplificado, realizado no ano de 2019. Além disso, a equipe de tradutores e intérpretes do CAS também organizou e gravou um edital em Libras para publicação de forma pioneira.

NAAH/S

Também um programa do Governo Federal, o Núcleo de Atividades de Altas Habilidades/Superdotação (NAAH/S) foi criado para oferecer formação aos professores da rede pública a fim de que tenham um olhar diferenciado no que concerne aos talentos e acompanhamento aos alunos identificados.

O Núcleo já ofertou formações tanto para professores do ensino regular quanto para os que atuam nas Salas de Recursos Multifuncionais sobre as altas habilidades e superdotação. Atualmente conta com uma coordenadora e uma técnica pedagógica.

Segundo a coordenadora Rita de Cássia Fontes, no ano de 2021 a rede estadual teve 59 alunos informados com o indicativo de Altas Habilidades/Superdotação, que são monitorados pela equipe do NAAH/S, em contato com os professores da rede pública estadual de Sergipe.

“O Núcleo é importante para o estado de Sergipe, tendo em vista que, por meio dele, o estudante sabe que pode contar com um apoio pedagógico para fortalecer seus conhecimentos, proporcionando ao aluno explorar as diversas áreas em que tem habilidades”, explicou Rita de Cássia.

Notícia
/ Notícias / educacao_cultura_esportes

Centro de Apoio ao Surdo e Núcleo de Atividades de Altas Habilidades/ Superdotação da Seduc completam 15 anos de atividades
Por meio deste serviço, a Seduc tem ofertado curso gratuito na área de Língua Brasileira de Sinais (Libras), com certificação de até 250h, dividido em quatro módulos e identificado e acompanhado pedagogicamente alunos com altas habilidades e superdotação
Terça-Feira, 23 de Novembro de 2021

A Secretaria de Estado da Educação, do Esporte e da Cultura (Seduc) comemorou nesta segunda-feira, 22 de novembro, os 15 anos de inauguração do Centro de Apoio ao Surdo (CAS) e do Núcleo de Atividades de Altas Habilidades/Superdotação (NAAH/S), vinculados ao Serviço de Educação Inclusiva (Seinc). Por meio deste serviço, a Seduc tem ofertado curso gratuito na área de Língua Brasileira de Sinais (Libras), com certificação de até 250h, dividido em quatro módulos e identificado e acompanhado pedagogicamente alunos com altas habilidades e superdotação.

De acordo com a coordenadora Tálita Cavalcanti, o CAS é um programa do Governo Federal que, em 2005, foi instituído em vários estados do Brasil para favorecer a difusão da Língua Brasileira de Sinais (Libras). Em 22 de novembro de 2006, o CAS e o NAAH/S foram fundados na rede estadual de ensino de Sergipe, na época localizado no Edifício Estado de Sergipe, e sob a coordenação da professora Ada Augusta Celestino Bezerra. Nesses 15 anos de atuação, o CAS tem promovido diversas formações de instrutores, cursos de Libras para servidores da Educação e para o público em geral, curso de Tradutor e Intérprete de Libras, formações de Atendimento Educacional Especializado, entre outras ações. Foram realizados também eventos comemorativos ao Dia Nacional da Luta da Pessoa com Deficiência, Dia Nacional do Surdo, entre outras datas especiais.

Desde a sua inauguração até hoje, o CAS promoveu na área de Libras a formação de 2.677 alunos em cursos básicos, 29 professores, 79 tradutores e instrutores e 255 intérpretes. “É importante o trabalho do CAS para difundir a Língua Brasileira de Sinais, a fim de que as pessoas possam interagir com surdos. É tão gratificante quando um surdo vem até nós e relata que foi a algum órgão público e o servidor que o atendeu sabia Libras e pôde acolhê-lo. O surdo é um cidadão e tem direito à comunicação e a acesso aos serviços. Quanto mais pessoas aprendem a Libras, mais acessibilidade a gente dá às pessoas com surdez”, disse Tálita Cavalcanti.

Atualmente o CAS e o NAAH/S funcionam na sede da Seduc. O CAS conta com quatro intérpretes e dois instrutores. As formações e o trabalho realizado pelo CAS são tão importantes que podem ser exemplificados com a convocação feita pela Seduc de tradutores e intérpretes de Libras para atuarem em aulas remotas, durante o período da pandemia da Covid-19, época em que as aulas aconteceram de forma online. Neste ano de 2021, as formações continuam. Dessa vez foi ofertando o curso de Libras Básico. A turma foi composta por um quantitativo máximo de 25 vagas, todas destinadas aos servidores lotados na Seduc. Foi ofertado também o curso de tradutor e intérprete, com 30 vagas. Outra atuação importante foi a mobilização de 17 intérpretes que atuaram no último aulão de revisão para o Enem, promovido pelo Curso Pré-Universitário da Seduc no último dia 19 de novembro, levando aos estudantes surdos os conhecimentos transmitidos pelos professores.

Pela primeira vez na história também foram formados instrutores de Libras em nível superior para ensinar Libras como primeira língua dentro das salas de recursos multifuncionais. Os profissionais em formação foram previamente aprovados no Processo Seletivo Simplificado, realizado no ano de 2019. Além disso, a equipe de tradutores e intérpretes do CAS também organizou e gravou um edital em Libras para publicação de forma pioneira.

NAAH/S

Também um programa do Governo Federal, o Núcleo de Atividades de Altas Habilidades/Superdotação (NAAH/S) foi criado para oferecer formação aos professores da rede pública a fim de que tenham um olhar diferenciado no que concerne aos talentos e acompanhamento aos alunos identificados.

O Núcleo já ofertou formações tanto para professores do ensino regular quanto para os que atuam nas Salas de Recursos Multifuncionais sobre as altas habilidades e superdotação. Atualmente conta com uma coordenadora e uma técnica pedagógica.

Segundo a coordenadora Rita de Cássia Fontes, no ano de 2021 a rede estadual teve 59 alunos informados com o indicativo de Altas Habilidades/Superdotação, que são monitorados pela equipe do NAAH/S, em contato com os professores da rede pública estadual de Sergipe.

“O Núcleo é importante para o estado de Sergipe, tendo em vista que, por meio dele, o estudante sabe que pode contar com um apoio pedagógico para fortalecer seus conhecimentos, proporcionando ao aluno explorar as diversas áreas em que tem habilidades”, explicou Rita de Cássia.