Notícias

Terça-Feira, 02 de Julho de 2024 às 12:00:00
Mata do Junco recebe plantios compensatórios de cerca de 14 mil mudas nativas
Ao todo, quatro empresas desenvolvem projetos de reposição florestal na Unidade de Conservação Estadual, com a perspectiva de recuperar 64,62 hectares de áreas degradadas

O Refúgio de Vida Silvestre (RVS) Mata do Junco, Unidade de Conservação Estadual (UC), localizada no município de Capela, leste sergipano, recebeu nos últimos meses o plantio de aproximadamente 14 mil mudas nativas, fruto de compensação ambiental. A Secretaria de Estado do Meio Ambiente, Sustentabilidade e Ações Climáticas (Semac), órgão gestor da unidade, tem acompanhado regularmente o andamento dos projetos de reposição florestal executados no local.

Ao todo, quatro empresas desenvolvem projetos de reposição florestal na reserva, cujas ações incluem o plantio compensatório de mudas e ações de educação ambiental com a comunidade do entorno. Por meio das ações de plantio, serão recuperados 64,62 hectares da UC. 

O gestor do RVS Mata do Junco, Mário Sérgio Melo Barreto, destacou o objetivo das vistorias. “O que nós estamos vendo é resultado de parcerias e deliberações das compensações ambientais, a fim de recuperar, gradativamente, as áreas degradadas dentro de áreas protegidas. Esse monitoramento das etapas é de extrema importância para o processo de plantio”, disse ele, enfatizando que a quantidade de mudas plantadas tende a aumentar conforme os projetos de reposição forem avançando. 

De acordo com o coordenador de um dos projetos executados na Mata do Junco, o diretor executivo da Ambientec, João Victor Maia d’Avila, a ação visa aumentar a cobertura vegetal da Mata do Junco e cobrir alguns fragmentos que ainda estão descobertos. Ainda de acordo com ele, 70% das mudas utilizadas no plantio são fornecidas pelo Viveiro União das Mulheres, que fica no Assentamento José Emídio dos Santos, em Capela. “Tem sido muito gratificante estar aqui porque a gente trabalha com o apoio da Secretaria de Estado do Meio Ambiente, da gestão da unidade, o pessoal do Incra também tem apoiado bastante, visto que aqui ainda é reserva legal de assentamento, então a gente tem interagido com eles e os assentados que se tornaram amigos da gente durante essa jornada de plantio”, concluiu.