Inicio / Notícias / saude
Notícia
Dia Mundial da Saúde Mental: SES reforça a necessidade de falar sobre o assunto
Cuidados com a saúde mental não devem ser adotados apenas quando estamos nos sentindo deprimidos, estressados ou ansiosos
Domingo, 10 de Outubro de 2021

“Nesta data busca-se chamar atenção da sociedade para levar informações e o debate sobre o assunto. Assim como chamar atenção para nossa saúde mental, pois ‘sem saúde mental, não há saúde’”, é o que assevera a Referência Técnica da Saúde Mental na Atenção Primária à Saúde (DAPS) da Secretaria do Estado da Saúde (SES), Carlos Galberto, no Dia Mundial da Saúde Mental, 10 de outubro.

Em 1992, a data foi estabelecida pela Federação Mundial de Saúde Mental (World Federation for Mental Health), com o intuito de chamar a atenção pública para a questão, e identificá-la como uma causa comum a toda a sociedade, assim como, sobre a relevância de como identificar alguém que precisa de ajuda e tratamento.

“A data também pode ser utilizada para discutir as políticas públicas na área da saúde mental e da atenção psicossocial, para identificar, diagnosticar, prevenir e ofertar tratamento em saúde mental que têm sido aumentados em nossa sociedade”, enfatiza a referência técnica.

O profissional chama atenção para a importância da conscientização que pode ser feita de várias formas. “Os municípios também estão planejando e irão realizar ações de prevenção e divulgação da saúde mental. Esse papel de conscientização deve ser feito pelas Secretarias de Saúde, nos Conselhos de Saúde, nos espaços de gestão, pelos trabalhadores e a sociedade como um todo”, diz.

É importante lembrar que os cuidados com a saúde mental não devem ser adotados apenas quando estamos nos sentindo deprimidos, estressados ou ansiosos. Eles devem ser constantes e tão valorizados quanto os tomados com a saúde física.

Carlos explica que as cobranças do estilo de vida moderno são intensas, “mas é preciso resistir à tentação de fazer tudo com perfeição”. Ele ainda salienta que nem tudo que é publicado nas redes sociais é a vida real, “você pode fazer o que é possível dentro da sua realidade de vida. Portanto, respeite os seus próprios limites e não se compare. Melhore a gestão do seu tempo e não tenha medo de pedir ajuda quando sentir-se angustiado”.

Rede de Atenção Psicossocial (Raps)

Em Sergipe, a Rede de Atenção Psicossocial (Raps), que integra o Sistema Único de Saúde (SUS), oferece serviços para quem necessita de orientações e tratamento quando apresentarem sofrimento psíquico, transtornos mentais ou estiver em uso abusivo de álcool e outras drogas.

Carlos Galberto salienta que a Raps atua por meio de ações de promoção e prevenção no campo da Saúde Mental, realizadas na Unidade Básica de Saúde (UBS), no Núcleo de Apoio à Saúde da Família e no Consultório na Rua. “Na Rede Especializada podem-se acessar os Centros de Atenção Psicossocial (Caps), os ambulatórios de referência em saúde mental. Já em caso de crise aguda e urgências pode-se acionar o Samu 192, a Sala de Estabilização, as UPA 24 horas, portas hospitalares de atenção à urgência/pronto socorro e a Urgência de Saúde Mental do Hospital São José”, diz.

Caso você esteja necessitando de orientações e atendimento em saúde mental poderá procurar os serviços da Raps:

  • Unidades Básicas de Saúde (UBS);
  • Centros de Atenção Psicossocial (Caps);
  • Consultório na Rua;
  • Urgência em Hospital Geral;
  • Ambulatório de Referência em Saúde Mental;
  • Urgência de Saúde Mental do Hospital São José.
Notícia
/ Notícias / saude

Dia Mundial da Saúde Mental: SES reforça a necessidade de falar sobre o assunto
Cuidados com a saúde mental não devem ser adotados apenas quando estamos nos sentindo deprimidos, estressados ou ansiosos
Domingo, 10 de Outubro de 2021

“Nesta data busca-se chamar atenção da sociedade para levar informações e o debate sobre o assunto. Assim como chamar atenção para nossa saúde mental, pois ‘sem saúde mental, não há saúde’”, é o que assevera a Referência Técnica da Saúde Mental na Atenção Primária à Saúde (DAPS) da Secretaria do Estado da Saúde (SES), Carlos Galberto, no Dia Mundial da Saúde Mental, 10 de outubro.

Em 1992, a data foi estabelecida pela Federação Mundial de Saúde Mental (World Federation for Mental Health), com o intuito de chamar a atenção pública para a questão, e identificá-la como uma causa comum a toda a sociedade, assim como, sobre a relevância de como identificar alguém que precisa de ajuda e tratamento.

“A data também pode ser utilizada para discutir as políticas públicas na área da saúde mental e da atenção psicossocial, para identificar, diagnosticar, prevenir e ofertar tratamento em saúde mental que têm sido aumentados em nossa sociedade”, enfatiza a referência técnica.

O profissional chama atenção para a importância da conscientização que pode ser feita de várias formas. “Os municípios também estão planejando e irão realizar ações de prevenção e divulgação da saúde mental. Esse papel de conscientização deve ser feito pelas Secretarias de Saúde, nos Conselhos de Saúde, nos espaços de gestão, pelos trabalhadores e a sociedade como um todo”, diz.

É importante lembrar que os cuidados com a saúde mental não devem ser adotados apenas quando estamos nos sentindo deprimidos, estressados ou ansiosos. Eles devem ser constantes e tão valorizados quanto os tomados com a saúde física.

Carlos explica que as cobranças do estilo de vida moderno são intensas, “mas é preciso resistir à tentação de fazer tudo com perfeição”. Ele ainda salienta que nem tudo que é publicado nas redes sociais é a vida real, “você pode fazer o que é possível dentro da sua realidade de vida. Portanto, respeite os seus próprios limites e não se compare. Melhore a gestão do seu tempo e não tenha medo de pedir ajuda quando sentir-se angustiado”.

Rede de Atenção Psicossocial (Raps)

Em Sergipe, a Rede de Atenção Psicossocial (Raps), que integra o Sistema Único de Saúde (SUS), oferece serviços para quem necessita de orientações e tratamento quando apresentarem sofrimento psíquico, transtornos mentais ou estiver em uso abusivo de álcool e outras drogas.

Carlos Galberto salienta que a Raps atua por meio de ações de promoção e prevenção no campo da Saúde Mental, realizadas na Unidade Básica de Saúde (UBS), no Núcleo de Apoio à Saúde da Família e no Consultório na Rua. “Na Rede Especializada podem-se acessar os Centros de Atenção Psicossocial (Caps), os ambulatórios de referência em saúde mental. Já em caso de crise aguda e urgências pode-se acionar o Samu 192, a Sala de Estabilização, as UPA 24 horas, portas hospitalares de atenção à urgência/pronto socorro e a Urgência de Saúde Mental do Hospital São José”, diz.

Caso você esteja necessitando de orientações e atendimento em saúde mental poderá procurar os serviços da Raps:

  • Unidades Básicas de Saúde (UBS);
  • Centros de Atenção Psicossocial (Caps);
  • Consultório na Rua;
  • Urgência em Hospital Geral;
  • Ambulatório de Referência em Saúde Mental;
  • Urgência de Saúde Mental do Hospital São José.