Inicio / Notícias / inclusao-social
Notícia
NAT e Aprecia ampliam vagas durante aula inaugural de cursos para mulheres no Bugio
Além das vagas iniciais, serão abertas, posteriormente, outras 360 oportunidades para novos cursos em outros bairros da grande Aracaju
Sexta-Feira, 16 de Agosto de 2019

O Espaço Cuidar do Bugio recebeu a aula inaugural dos cursos exclusivos para mulheres na última quinta-feira, 15 de agosto. Ofertados para mulheres acima dos 16 anos, os cursos de Empreendedorismo, de Auxiliar Administrativo e de Recepcionista são realizados gratuitamente pelo Núcleo de Apoio ao Trabalho da secretaria de Estado da Inclusão Social (NAT/Seit) em parceria com o Instituto Aprecia, através do projeto “Qualificação para Mulheres” do governo Federal. Além das vagas iniciais, serão abertas, posteriormente, outras 360 oportunidades para novos cursos em outros bairros da grande Aracaju.

Devido à grande procura do público feminino no dia das inscrições, um amplo cadastro reserva foi formado. Durante a aula inaugural, então, as alunas foram surpreendidas com uma novidade: as 80 vagas inicialmente ofertadas foram ampliadas para 120. “Como a demanda excedeu bastante o número de vagas, tivemos a necessidade de formar mais turmas. Agora, cada um dos três cursos passa a contar com 40 vagas, com opções de turmas em dois turnos (manhã e tarde)”, conta o coordenador do NAT, Gilton Andrade.

Os cursos terão carga horária de 120 horas/aula e serão realizados em cerca de 90 dias. Para possibilitar a participação das mulheres que são mães, um espaço exclusivo será disponibilizado para os seus filhos ou dependentes, durante o período das aulas. “É um projeto pioneiro, em que unimos a qualificação para as mulheres com o suporte necessário para a realização deste sonho. As mulheres podem vir estudar com foco e qualidade, pois os filhos ou dependente estarão bem cuidados, com promoção de atividades lúdicas, pedagógicas e esportivas”, conta o presidente do Instituto Aprecia, Israel Macedo.

Inclusão pela renda

Com sistema de cotas, a seleção das alunas buscou incluir mulheres em situação de maior vulnerabilidade, com 5% das vagas reservadas para mulheres trans, 5% para apenadas ou egressas do sistema prisional, 5% para mulheres com deficiência e 20% para mulheres negras. “Eu achei muito bom que abriram espaço para as mulheres negras e transexuais porque sofremos muito preconceito. Esse curso é uma forma de nos ajudar a entrar no mercado de trabalho e também incentivar os nossos filhos a estudarem, já que eles estarão aqui conosco”, disse Edilene da Silva, que faz parte do Movimento Negro do Bairro Santos Dumont e é uma das alunas do curso de Recepcionista.

A referência técnica de Políticas para Mulheres da Diretoria de Direitos Humanos da Seit, Linei Pereira, destacou a importância do incentivo à qualificação profissional e à empregabilidade das mulheres em situação de vulnerabilidade social. “O caminho que a mulher trilha até chegar ao mercado de trabalho é cheio de pedras. Desde os tempos mais remotos, a mulher vive em situação de desigualdade e precisamos combatê-las através de políticas públicas e atenção especializada. Hoje foi um grande passo para contribuir com o empoderamento e com a autonomia das mulheres! Capacitar e direcionar esse público ao mercado de trabalho é trazer uma nova perspectiva de vida, garantindo a inclusão pelo direito e pela renda”, afirmou.

À procura do primeiro emprego, a jovem Renata Fagundes, 19 anos, se inscreveu no curso de Empreendedorismo e afirmou que a qualificação a ajudará a entrar no mercado de trabalho. “Me interesso pela área de empreendedorismo e queria muito ter uma base de conhecimento. Cursos gratuitos como estes são muito importantes, porque ajudam as pessoas que não têm condições financeiras para investir em capacitações e mostram que todas podemos ter acesso. É uma oportunidade incrível para muitas mulheres desenvolverem suas habilidades. Esse curso vai mudar nossa perspectiva de vida; será um pontapé inicial”, disse.

Qualificação para empregabilidade 
Para a coordenadora do Espaço Cuidar Bugio, Jussara Santos, a procura por capacitações profissionais é uma grande demanda da região. “Muitos jovens vêm aqui constantemente perguntar por cursos. Estou muito feliz com a chegada do Instituto Aprecia se somando à Seit por promover esse momento maravilhoso. Este será apenas o início de uma nova jornada. Ao finalizar os cursos, as alunas poderão ainda contar com o NAT para auxiliá-las na porta de entrada ao mercado de trabalho”, afirmou.

Dentre os conhecimentos oferecidos pelos cursos, as estudantes terão aulas de informática, palestras sobre o panorama do mercado de trabalho e visitas acadêmicas às empresas, como conta o gerente de projetos do Instituto Aprecia, Alexandre Araújo. “Com esse projeto, já foram beneficiadas mais de 3 mil pessoas em 120 municípios do Brasil. Contamos com vários parceiros que ajudam a somar junto com o Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MDH) e com as secretarias estaduais. A capacitação é um primeiro passo para que estejamos inserindo estas mulheres no mercado de trabalho com padrão de qualificação”, disse.

Não existe idade para o conhecimento. Foi com esse pensamento que a senhora Silene Santos de Carvalho, de 60 anos, resolveu participar do curso de Empreendedorismo. “Esse curso veio em uma hora muito especial para mim e acredito que também para outras pessoas que não têm emprego. Ninguém pode perder uma oportunidade como essa. Eu não tenho condições de pagar um curso desse, então eu só tenho a agradecer ao NAT, que está sempre ofertando oportunidade. Eu batalho tanto e não tenho condições de pagar um curso, então eu estou muito feliz”, afirmou.