Inicio / Notícias / inclusao-social
Notícia
Grande procura esgota inscrições de cursos para mulheres no Espaço Cuidar do Bugio
As 80 vagas disponibilizadas foram distribuídas entre cursos de Empreendedorismo, Auxiliar Administrativo e Recepcionista
Terça-Feira, 13 de Agosto de 2019

As inscrições para os cursos exclusivos para mulheres foram preenchidas nas primeiras horas da manhã desta terça-feira (13), no Espaço Cuidar do Bugio. Ofertadas pelo Núcleo de Apoio ao Trabalho da Secretaria de Estado da Inclusão Social (NAT/Seit), em parceria com o Instituto Aprecia, as 80 vagas disponibilizadas foram distribuídas entre cursos de Empreendedorismo, Auxiliar Administrativo e Recepcionista. A aula inaugural das capacitações será realizada nesta quinta-feira (15), às 09h30, também no Espaço Cuidar.

O curso mais procurado pelas mulheres foi o de Recepcionista. Para Josineide Santos Silva, moradora das adjacências do Bugio, esta será uma oportunidade de reinserção no mercado de trabalho. “Eu vim me inscrever porque estou desempregada e gostaria de conseguir uma vaga de emprego nesta área. Eu adoro atendimento ao público. Acho importante essa ação específica para nós, mulheres, pois em alguns locais somos discriminadas simplesmente por sermos mulheres”, relatou.

De acordo com o coordenador do NAT, Gilton Andrade, serão abertas outras 360 vagas para novos cursos. “Neste momento estamos lançando 80 vagas. Nos próximos meses encaminharemos mais demandas, inclusive com inclusão de outras parcerias. O projeto completo prevê 440 vagas de cursos, que serão distribuídas nas localidades do Santos Dumont, Santa Maria, 17 de Março, Orlando Dantas, e NAT Matriz”, afirmou. 

Inclusão pela Renda

O Instituto Aprecia se uniu ao NAT com o objetivo de promover a inserção social e o empoderamento para o público feminino através do Projeto “Qualificação Profissional para Mulheres”, como conta o presidente Israel Macedo. “A ideia é combater essa cultura de superioridade do homem, por isso, é um projeto específico para as mulheres. O Instituto Aprecia tem 15 anos e, atualmente, trabalha em cinco estados. Temos o lema de integrar e o nosso trabalho de capacitações é realizado com recursos do Governo Federal, estrutura disponibilizada pelas secretarias estaduais e oferta de vagas por empresas locais”, contou.

O coordenador do projeto em Aracaju, Alexandre Araújo, conta que ficou surpreso com a grande procura da população feminina. “A escolha dos cursos foi feita com base em um estudo realizado junto ao NAT, para entender as demandas locais e a perspectiva empresarial, pois não adianta capacitá-las e o mercado de trabalho não absorver essa mão-de-obra. A demanda pelos cursos me surpreendeu. As vagas se esgotaram imediatamente. É gratificante saber que estamos conseguindo atender o nosso objetivo”, expôs.

Para as trabalhadoras que não conseguiram as vagas imediatas, foi criado ainda o cadastro reserva como explica a coordenadora geral dos Espaços Cuidar, Avanize Santos. “Para que a gente pudesse acolher todas as mulheres e ser imparcial, nós distribuímos senhas por ordem de chegada. Tivemos também a preocupação com a equidade e os cursos terão cotas com percentagem para mulheres negras, trans, com deficiência, apenadas e egressas do sistema prisional. Além disso, fizemos também o cadastro reserva para que essas mulheres possam ter oportunidade no futuro”, avaliou.