Inicio / Notícias / inclusao-social
Notícia
Governo discute medidas para ajudar rizicultores afetados pelas fortes chuvas no Baixo São Francisco
Reunião realizada nesta quarta-feira, 29, entre Seagri, Codevasf e prefeitos da região teve como objetivo discutir o problema
Quarta-Feira, 29 de Dezembro de 2021

Nesta quarta-feira, 29, o Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado da Agricultura, do Desenvolvimento Agrário e Pesca (Seagri), participou de uma reunião com a Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf) e com os prefeitos dos municípios de Neópolis, Pacatuba, Propriá e Ilha das Flores, para discutir dados recentes do levantamento do impacto causado pelas fortes chuvas na região do Baixo São Francisco. Partiparam da reunião o secretário da pasta, Zeca da Silva, e o superintendente da Codevasf, Marcos Alves.

O levantamento preliminar discutido hoje revelou que o volume de chuva de 180mm gerou um prejuízo na produção de 1 milhão e 200 mil reais, correspondendo, aproximadamente, a 6% da safra total. De acordo com Alves, esse levantamento poderá sofrer alterações. “Estamos otimizando os dados para passar um resultado real e adequado”, disse. 
 
Zeca voltou a reiterar o interesse do Governo em disponibilizar total apoio aos produtores da região, por se tratar, também, de uma “questão social e econômica”. "Escutamos as demandas dos produtores e vamos ajudar a amenizar o sofrimento pelo qual estão passando”, afirmou.  

O secretário informou que o levantamento oficial da Emdagro sairá nos próximos dias e que voltará a se reunir com o superintendente da Codevasf na próxima semana para, dentro do possível, atender as exigências do levantamento. 
 
O produtor Marcelo dos Santos, do  perímetro de Cotinguiba do Pindoba, saiu da reunião com a esperança de que as medidas discutidas irão corresponder às suas expectativas. “O Governo do Estado e a Codevasf já têm conhecimento da situação e sei que as providências vão ser tomadas. Eles não vão deixar a gente na mão”, afirmou o produtor, que sofreu uma perda de 40 lotes de produção.

Notícia
/ Notícias / inclusao-social

Governo discute medidas para ajudar rizicultores afetados pelas fortes chuvas no Baixo São Francisco
Reunião realizada nesta quarta-feira, 29, entre Seagri, Codevasf e prefeitos da região teve como objetivo discutir o problema
Quarta-Feira, 29 de Dezembro de 2021

Nesta quarta-feira, 29, o Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado da Agricultura, do Desenvolvimento Agrário e Pesca (Seagri), participou de uma reunião com a Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf) e com os prefeitos dos municípios de Neópolis, Pacatuba, Propriá e Ilha das Flores, para discutir dados recentes do levantamento do impacto causado pelas fortes chuvas na região do Baixo São Francisco. Partiparam da reunião o secretário da pasta, Zeca da Silva, e o superintendente da Codevasf, Marcos Alves.

O levantamento preliminar discutido hoje revelou que o volume de chuva de 180mm gerou um prejuízo na produção de 1 milhão e 200 mil reais, correspondendo, aproximadamente, a 6% da safra total. De acordo com Alves, esse levantamento poderá sofrer alterações. “Estamos otimizando os dados para passar um resultado real e adequado”, disse. 
 
Zeca voltou a reiterar o interesse do Governo em disponibilizar total apoio aos produtores da região, por se tratar, também, de uma “questão social e econômica”. "Escutamos as demandas dos produtores e vamos ajudar a amenizar o sofrimento pelo qual estão passando”, afirmou.  

O secretário informou que o levantamento oficial da Emdagro sairá nos próximos dias e que voltará a se reunir com o superintendente da Codevasf na próxima semana para, dentro do possível, atender as exigências do levantamento. 
 
O produtor Marcelo dos Santos, do  perímetro de Cotinguiba do Pindoba, saiu da reunião com a esperança de que as medidas discutidas irão corresponder às suas expectativas. “O Governo do Estado e a Codevasf já têm conhecimento da situação e sei que as providências vão ser tomadas. Eles não vão deixar a gente na mão”, afirmou o produtor, que sofreu uma perda de 40 lotes de produção.