Inicio / Notícias / educacao_cultura_esportes
Notícia
Ansiedade na Adolescência é tema debatido com alunos do Colégio Estadual Leonor Teles de Menezes
Ação, coordenada pelos professores Marina Oliveira Malta e Daniel Othoniel, faz parte da proposta do Novo Ensino Médio, em que são trabalhadas as Atividades Integradoras e Projeto de Vida
Sexta-Feira, 03 de Dezembro de 2021

Os alunos do Colégio Estadual Leonor Teles de Menezes, no povoado Mosqueiro, em Aracaju, participaram na manhã desta sexta-feira, 3, de um seminário para debater a ansiedade na adolescência. O evento contou com a participação da psicóloga clínica Laleska França de Aragão Cardoso, que ministrou palestra sobre o tema para os estudantes. A ação, coordenada pelos professores Marina Oliveira Malta e Daniel Othoniel, faz parte da proposta do Novo Ensino Médio, em que são trabalhadas as Atividades Integradoras e Projeto de Vida.

De acordo com a professora Marina Malta, que ensina a disciplina Projeto de Vida, durante todo o ano foi trabalhado com os alunos o tema gerador “A saúde mental dos adolescentes”. Ela explica que, a partir de um questionário de escuta, começou-se a identificar que os estudantes estavam com problemas relacionados a bullying, autoaceitação, autoafirmação e ansiedade. Foi quando surgiu a ideia de trazer a psicóloga para conversar com os alunos e levar-lhes orientações sobre esses assuntos.

“Principalmente diante de um quadro pós-pandemia, a rotina dos alunos mudou completamente, e a forma de se trabalhar os conteúdos em sala de aula também. Esse trabalho realizado com eles no Projeto de Vida repercutiu positivamente, porque nem todos têm acompanhamento emocional em casa ou uma família estruturada. Isso fez com que a escola pudesse ser uma aliada na construção emocional do estudante”, afirmou. 

A diretora da unidade de ensino, Jocidélia Santos de Oliveira, comemorou o sucesso desta ação, que tem trazido bons resultados aos estudantes. “Após praticamente dois anos em aulas remotas, devido à pandemia, recebemos aqui muitos alunos sem motivação, alguns nem queriam mais vir. E, agora, estamos vendo o brilho nos olhos deles. É importante trabalhar esse tema da ansiedade, porque alguns alunos têm problemas familiares em casa, e nós precisamos dar o nosso melhor para eles. Aquilo que o professor identificar e não puder fazer por eles, já encaminha-os para algum profissional médico ou psicólogo para tratar”, disse.

Seminário

O seminário foi realizado no pátio da escola, onde os alunos puderam assistir à palestra da psicóloga Laleska França. A profissional falou sobre os critérios utilizados para se diagnosticar o transtorno de ansiedade, citando alguns, como inquietação, irritabilidade, preocupação excessiva, insônia, entre outros. Ela também deu algumas dicas de como controlar a ansiedade, mostrando que os alunos devem organizar melhor sua rotina, controlar a própria respiração, investir em autoconhecimento, fazer atividades físicas, entre outras ações.

“Devido à pandemia, muitos adolescentes adquiriram ansiedade. Ela está muito presente na vida dos jovens. É considerada atualmente a oitava causa da incapacidade entre eles. Então é importante a gente falar sobre isso para que eles entendam melhor sobre esse problema e saibam como identificar e como tratar”, explicou.

O estudante Alisson Henrique Ribeiro Rocha estava bastante atento à palestra e disse ter gostado bastante. “A maioria dos jovens hoje em dia tem essa tendência a ter ansiedade desenvolvida. E um seminário falando sobre esse problema e suas causas é bem importante. Eu sinto que tenho também um grau de ansiedade, e essas orientações passadas aqui vão me ajudar bastante”, disse.

Opinião parecida teve o seu colega Adryan Emanuel Penha da Silva. “Isso tem mais a ver com trabalhar o emocional da pessoa. Eu, por exemplo, tenho um pequeno grau de ansiedade em algumas situações e vejo que preciso controlar isso. A psicóloga nos passou hoje dicas ótimas e super importantes para que possamos trabalhar melhor em nós mesmos”, declarou.

A aluna Paula Luciana Beltrão dos Santos também elogiou a iniciativa de trazer esse tema para o debate. “Esse é um assunto muito atual. Nesse momento de pandemia, aumentaram os casos de ansiedade entre os jovens. E é importante que os alunos tenham coragem de pedir ajuda. Eu sempre fico ansiosa antes de fazer as provas na escola e em outros momentos. Então essas dicas passadas no seminário servem também para mim”, afirmou.

Notícia
/ Notícias / educacao_cultura_esportes

Ansiedade na Adolescência é tema debatido com alunos do Colégio Estadual Leonor Teles de Menezes
Ação, coordenada pelos professores Marina Oliveira Malta e Daniel Othoniel, faz parte da proposta do Novo Ensino Médio, em que são trabalhadas as Atividades Integradoras e Projeto de Vida
Sexta-Feira, 03 de Dezembro de 2021

Os alunos do Colégio Estadual Leonor Teles de Menezes, no povoado Mosqueiro, em Aracaju, participaram na manhã desta sexta-feira, 3, de um seminário para debater a ansiedade na adolescência. O evento contou com a participação da psicóloga clínica Laleska França de Aragão Cardoso, que ministrou palestra sobre o tema para os estudantes. A ação, coordenada pelos professores Marina Oliveira Malta e Daniel Othoniel, faz parte da proposta do Novo Ensino Médio, em que são trabalhadas as Atividades Integradoras e Projeto de Vida.

De acordo com a professora Marina Malta, que ensina a disciplina Projeto de Vida, durante todo o ano foi trabalhado com os alunos o tema gerador “A saúde mental dos adolescentes”. Ela explica que, a partir de um questionário de escuta, começou-se a identificar que os estudantes estavam com problemas relacionados a bullying, autoaceitação, autoafirmação e ansiedade. Foi quando surgiu a ideia de trazer a psicóloga para conversar com os alunos e levar-lhes orientações sobre esses assuntos.

“Principalmente diante de um quadro pós-pandemia, a rotina dos alunos mudou completamente, e a forma de se trabalhar os conteúdos em sala de aula também. Esse trabalho realizado com eles no Projeto de Vida repercutiu positivamente, porque nem todos têm acompanhamento emocional em casa ou uma família estruturada. Isso fez com que a escola pudesse ser uma aliada na construção emocional do estudante”, afirmou. 

A diretora da unidade de ensino, Jocidélia Santos de Oliveira, comemorou o sucesso desta ação, que tem trazido bons resultados aos estudantes. “Após praticamente dois anos em aulas remotas, devido à pandemia, recebemos aqui muitos alunos sem motivação, alguns nem queriam mais vir. E, agora, estamos vendo o brilho nos olhos deles. É importante trabalhar esse tema da ansiedade, porque alguns alunos têm problemas familiares em casa, e nós precisamos dar o nosso melhor para eles. Aquilo que o professor identificar e não puder fazer por eles, já encaminha-os para algum profissional médico ou psicólogo para tratar”, disse.

Seminário

O seminário foi realizado no pátio da escola, onde os alunos puderam assistir à palestra da psicóloga Laleska França. A profissional falou sobre os critérios utilizados para se diagnosticar o transtorno de ansiedade, citando alguns, como inquietação, irritabilidade, preocupação excessiva, insônia, entre outros. Ela também deu algumas dicas de como controlar a ansiedade, mostrando que os alunos devem organizar melhor sua rotina, controlar a própria respiração, investir em autoconhecimento, fazer atividades físicas, entre outras ações.

“Devido à pandemia, muitos adolescentes adquiriram ansiedade. Ela está muito presente na vida dos jovens. É considerada atualmente a oitava causa da incapacidade entre eles. Então é importante a gente falar sobre isso para que eles entendam melhor sobre esse problema e saibam como identificar e como tratar”, explicou.

O estudante Alisson Henrique Ribeiro Rocha estava bastante atento à palestra e disse ter gostado bastante. “A maioria dos jovens hoje em dia tem essa tendência a ter ansiedade desenvolvida. E um seminário falando sobre esse problema e suas causas é bem importante. Eu sinto que tenho também um grau de ansiedade, e essas orientações passadas aqui vão me ajudar bastante”, disse.

Opinião parecida teve o seu colega Adryan Emanuel Penha da Silva. “Isso tem mais a ver com trabalhar o emocional da pessoa. Eu, por exemplo, tenho um pequeno grau de ansiedade em algumas situações e vejo que preciso controlar isso. A psicóloga nos passou hoje dicas ótimas e super importantes para que possamos trabalhar melhor em nós mesmos”, declarou.

A aluna Paula Luciana Beltrão dos Santos também elogiou a iniciativa de trazer esse tema para o debate. “Esse é um assunto muito atual. Nesse momento de pandemia, aumentaram os casos de ansiedade entre os jovens. E é importante que os alunos tenham coragem de pedir ajuda. Eu sempre fico ansiosa antes de fazer as provas na escola e em outros momentos. Então essas dicas passadas no seminário servem também para mim”, afirmou.