Inicio / Notícias / desenvolvimento
Notícia
Turismo no pós-pandemia é foco de projeto apoiado pelo Programa Centelha 
Equipe investe no protagonismo e desenvolvimento local como diferencial
Quarta-Feira, 14 de Outubro de 2020

O desenvolvimento de roteiros turísticos baseados nos valores históricos, antropológicos e naturais do território sergipano é o objetivo de mais um projeto apoiado pelo Governo do Estado, por meio do Programa Centelha. Criada em 2018, a Vento Leve Turismo de Experiência vem se articulando para oferecer novas opções de roteiros para turistas e habitantes locais no período pós-pandemia, investindo no artesanato, gastronomia, dança, eventos e reservas ambientais como grandes atrativos.

A equipe vem atuando no planejamento de quatro roteiros estratégicos, contemplando os municípios de Brejo Grande, Pacatuba, Aracaju e São Cristóvão. O propósito do projeto é apresentar os roteiros e atrações de forma inovadora, contando com o protagonismo local como diferencial na experiência oferecida.

A turismóloga e antropóloga Gabriela Nicolau, proponente do projeto, explica que a empresa visa fomentar a economia regional e o reconhecimento dos agentes de cada localidade. “A cada roteiro, em média, oito agentes locais são mobilizados direta ou indiretamente. Dessa maneira, podemos atuar na cadeia produtiva do turismo e no desenvolvimento de competências e habilidades que favorecem a qualificação da mão de obra e o empreendedorismo local”, ressalta.

Planejamento

Gabriela lembra que o projeto submetido ao Programa Centelha foi pensado em um contexto anterior à pandemia do coronavírus (Covid-19), o que motivou o grupo a elaborar novas estratégias. Ao longo dos próximos meses, a empresa planeja atuar em três frentes de trabalho específicas: construção da equipe e gerenciamento do projeto, planejamento, desenvolvimento dos roteiros e do negócio e comercialização.

“As atividades originais previstas para serem executadas através do Centelha estão ligadas ao desenvolvimento de roteiros, à identificação e formalização de parceiros e serviços, bem como à elaboração do Plano de Marketing e Vendas da Vento Leve. No momento, estamos dialogando com diferentes atores para que possamos dar início ao processo de revisão e venda dos roteiros”, informa a proponente.

Além de Gabriela Nicolau, a equipe é composta também pela administradora e gestora de vendas Stephanie Adans, pela assistente social e encarregada da Tecnologia Social dos roteiros, Amanda Araújo, e pelo publicitário e responsável pela comunicação e marketing Eduardo Viana.

Centelha

O Programa Centelha tem o objetivo de estimular a cultura empreendedora no Brasil e a criação de empreendimentos inovadores. O Governo do Estado operacionaliza a iniciativa por meio da Fundação de Apoio à Pesquisa e à Inovação Tecnológica do Estado de Sergipe (Fapitec), que é vinculada à Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico e da Ciência e Tecnologia (Sedetec). Promovem o programa o Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) e a Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), em parceria com o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e o Conselho Nacional das Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa (Confap), além da Fundação Certi.

Notícia
/ Notícias / desenvolvimento

Turismo no pós-pandemia é foco de projeto apoiado pelo Programa Centelha 
Equipe investe no protagonismo e desenvolvimento local como diferencial
Quarta-Feira, 14 de Outubro de 2020

O desenvolvimento de roteiros turísticos baseados nos valores históricos, antropológicos e naturais do território sergipano é o objetivo de mais um projeto apoiado pelo Governo do Estado, por meio do Programa Centelha. Criada em 2018, a Vento Leve Turismo de Experiência vem se articulando para oferecer novas opções de roteiros para turistas e habitantes locais no período pós-pandemia, investindo no artesanato, gastronomia, dança, eventos e reservas ambientais como grandes atrativos.

A equipe vem atuando no planejamento de quatro roteiros estratégicos, contemplando os municípios de Brejo Grande, Pacatuba, Aracaju e São Cristóvão. O propósito do projeto é apresentar os roteiros e atrações de forma inovadora, contando com o protagonismo local como diferencial na experiência oferecida.

A turismóloga e antropóloga Gabriela Nicolau, proponente do projeto, explica que a empresa visa fomentar a economia regional e o reconhecimento dos agentes de cada localidade. “A cada roteiro, em média, oito agentes locais são mobilizados direta ou indiretamente. Dessa maneira, podemos atuar na cadeia produtiva do turismo e no desenvolvimento de competências e habilidades que favorecem a qualificação da mão de obra e o empreendedorismo local”, ressalta.

Planejamento

Gabriela lembra que o projeto submetido ao Programa Centelha foi pensado em um contexto anterior à pandemia do coronavírus (Covid-19), o que motivou o grupo a elaborar novas estratégias. Ao longo dos próximos meses, a empresa planeja atuar em três frentes de trabalho específicas: construção da equipe e gerenciamento do projeto, planejamento, desenvolvimento dos roteiros e do negócio e comercialização.

“As atividades originais previstas para serem executadas através do Centelha estão ligadas ao desenvolvimento de roteiros, à identificação e formalização de parceiros e serviços, bem como à elaboração do Plano de Marketing e Vendas da Vento Leve. No momento, estamos dialogando com diferentes atores para que possamos dar início ao processo de revisão e venda dos roteiros”, informa a proponente.

Além de Gabriela Nicolau, a equipe é composta também pela administradora e gestora de vendas Stephanie Adans, pela assistente social e encarregada da Tecnologia Social dos roteiros, Amanda Araújo, e pelo publicitário e responsável pela comunicação e marketing Eduardo Viana.

Centelha

O Programa Centelha tem o objetivo de estimular a cultura empreendedora no Brasil e a criação de empreendimentos inovadores. O Governo do Estado operacionaliza a iniciativa por meio da Fundação de Apoio à Pesquisa e à Inovação Tecnológica do Estado de Sergipe (Fapitec), que é vinculada à Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico e da Ciência e Tecnologia (Sedetec). Promovem o programa o Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) e a Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), em parceria com o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e o Conselho Nacional das Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa (Confap), além da Fundação Certi.