Inicio / Notícias / desenvolvimento
Notícia
Serviços do primeiro trecho da Orla Sul já foram iniciados
Canteiro de obras foi instalado e muro de contenção está sendo construído
Quinta-Feira, 09 de Abril de 2020

Uma obra que trará inúmeros avanços para o turismo, fomentando a economia, o desenvolvimento urbano e o bem-estar dos sergipanos começa a tomar forma. Executada pelo Governo de Sergipe, por meio da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Urbano e Sustentabilidade (Sedurbs), o primeiro dos quatro trechos que compõe a Orla Sul já está com o canteiro de obras concluído, espaço este que consiste na edificação dos barracões onde funcionará o escritório, almoxarifado, vestiários, banheiros e área de vivência para os trabalhadores.

Segundo o engenheiro fiscal, José Silva, além da instalação do canteiro, a obra já possui outro trabalho iniciado. “Começamos a construção do muro de contenção em alvenaria que fica entre o passeio já existente e a faixa de areia, com extensão total de 2.260 metros, serviço este que terá duração de alguns meses”, explica.

A Orla Sul 

Prevista para ser uma continuação do ponto turístico mais visitado em Sergipe, que é a Orla da Atalaia, a Orla Sul possui quatro trechos e terá início a partir da intersecção da Avenida Santos Dumont com a Rua Deputado Clóvis Rollemberg, no bairro Atalaia, seguindo os 17,4 Km da faixa litorânea da Rodovia Airton Senna (SE-100) até a Praia do Viral, na divisa com o município de Itaporanga D’ajuda.

Tendo sua ordem de serviço autorizada pelo governador Belivaldo Chagas em 18 de março, as obras do Trecho-1 recebem investimentos no valor de R$ 8.341.520,63, provenientes do Governo do Estado. As intervenções correspondem à implantação de ciclovia e calçadas com acessibilidade (rampas, piso tátil e sinalização vertical e horizontal), criação de bolsões de estacionamento e áreas contendo aparelhos de ginástica, brinquedos, espreguiçadeiras, esculturas e bicicletário, recuperação da Rodovia SE-100 (Rodovia Ayrton Senna) e construção de cinco passarelas de acesso ao mar. Além disso, será feita a reconstrução da área do Deque do banho doce, construção de mureta/banco linear em todo o perímetro e implantação de projeto paisagístico através da inserção de espécies vegetais nativas.

Dividida nos Trechos, 1, 2, 3-A, 3-B, 3-C, 3-D, 3-E, 3-F, 3-G, 3-H e 4, o projeto da Orla Sul tem entre seus principais objetivos, realizar a adequação urbanística e delimitações das praias dos 17,4km da faixa litorânea Sul da Capital, onde estão inseridos os 49 bares da região, eliminando assim, uma série de problemas que circundam questões ligadas à degradação ambiental, à ausência de infraestrutura referente à mobilidade (acessibilidade, circulação, estacionamentos, sistemas de transporte e sinalização indicativa), falta de saneamento básico (drenagem, esgotamento e gestão de resíduos), inexistência de equipamentos de serviços de apoio, ausência de espaços adequados de contemplação, esporte e lazer, e a carência geral da área no que se refere ao desenho urbano e tratamento paisagístico.

Responsabilidade ambiental

Devidamente autorizado e licenciado pela Secretaria Municipal do Meio Ambiente (SEMA), o projeto também possui autorização de supressão de vegetação, que será minimamente removida. O percentual de vegetação nativa é pouco, boa parte da área é composta por vegetação invasiva, por sua vez formada pelo despejo de matéria orgânica oriunda de esgoto. O largo onde será construído o bolsão de estacionamento é a parte que mais terá supressão da vegetação, no entanto, ao longo dos trechos haverá a recuperação de tudo o que for suprimido.

O projeto paisagístico foi concebido de forma a incorporar às árvores existentes, de modo que em vários trechos, a calçada terá aberturas para preservá-las. Um dos pontos altos do projeto será o plantio de muitas espécies nativas da região, inclusive algumas que haviam desaparecidas daquela área.

Segundo o secretário estadual do Desenvolvimento Urbano, Ubirajara Barreto, a obra possibilitará boas perspectivas para o Estado. “A Orla mudará completamente para melhor o cenário daquela área que não para de se expandir, potencializando o progresso e gerando desenvolvimento econômico e social para a região, sem contar que Aracaju terá mais um belo cartão postal”, avalia.

Notícia
/ Notícias / desenvolvimento

Serviços do primeiro trecho da Orla Sul já foram iniciados
Canteiro de obras foi instalado e muro de contenção está sendo construído
Quinta-Feira, 09 de Abril de 2020

Uma obra que trará inúmeros avanços para o turismo, fomentando a economia, o desenvolvimento urbano e o bem-estar dos sergipanos começa a tomar forma. Executada pelo Governo de Sergipe, por meio da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Urbano e Sustentabilidade (Sedurbs), o primeiro dos quatro trechos que compõe a Orla Sul já está com o canteiro de obras concluído, espaço este que consiste na edificação dos barracões onde funcionará o escritório, almoxarifado, vestiários, banheiros e área de vivência para os trabalhadores.

Segundo o engenheiro fiscal, José Silva, além da instalação do canteiro, a obra já possui outro trabalho iniciado. “Começamos a construção do muro de contenção em alvenaria que fica entre o passeio já existente e a faixa de areia, com extensão total de 2.260 metros, serviço este que terá duração de alguns meses”, explica.

A Orla Sul 

Prevista para ser uma continuação do ponto turístico mais visitado em Sergipe, que é a Orla da Atalaia, a Orla Sul possui quatro trechos e terá início a partir da intersecção da Avenida Santos Dumont com a Rua Deputado Clóvis Rollemberg, no bairro Atalaia, seguindo os 17,4 Km da faixa litorânea da Rodovia Airton Senna (SE-100) até a Praia do Viral, na divisa com o município de Itaporanga D’ajuda.

Tendo sua ordem de serviço autorizada pelo governador Belivaldo Chagas em 18 de março, as obras do Trecho-1 recebem investimentos no valor de R$ 8.341.520,63, provenientes do Governo do Estado. As intervenções correspondem à implantação de ciclovia e calçadas com acessibilidade (rampas, piso tátil e sinalização vertical e horizontal), criação de bolsões de estacionamento e áreas contendo aparelhos de ginástica, brinquedos, espreguiçadeiras, esculturas e bicicletário, recuperação da Rodovia SE-100 (Rodovia Ayrton Senna) e construção de cinco passarelas de acesso ao mar. Além disso, será feita a reconstrução da área do Deque do banho doce, construção de mureta/banco linear em todo o perímetro e implantação de projeto paisagístico através da inserção de espécies vegetais nativas.

Dividida nos Trechos, 1, 2, 3-A, 3-B, 3-C, 3-D, 3-E, 3-F, 3-G, 3-H e 4, o projeto da Orla Sul tem entre seus principais objetivos, realizar a adequação urbanística e delimitações das praias dos 17,4km da faixa litorânea Sul da Capital, onde estão inseridos os 49 bares da região, eliminando assim, uma série de problemas que circundam questões ligadas à degradação ambiental, à ausência de infraestrutura referente à mobilidade (acessibilidade, circulação, estacionamentos, sistemas de transporte e sinalização indicativa), falta de saneamento básico (drenagem, esgotamento e gestão de resíduos), inexistência de equipamentos de serviços de apoio, ausência de espaços adequados de contemplação, esporte e lazer, e a carência geral da área no que se refere ao desenho urbano e tratamento paisagístico.

Responsabilidade ambiental

Devidamente autorizado e licenciado pela Secretaria Municipal do Meio Ambiente (SEMA), o projeto também possui autorização de supressão de vegetação, que será minimamente removida. O percentual de vegetação nativa é pouco, boa parte da área é composta por vegetação invasiva, por sua vez formada pelo despejo de matéria orgânica oriunda de esgoto. O largo onde será construído o bolsão de estacionamento é a parte que mais terá supressão da vegetação, no entanto, ao longo dos trechos haverá a recuperação de tudo o que for suprimido.

O projeto paisagístico foi concebido de forma a incorporar às árvores existentes, de modo que em vários trechos, a calçada terá aberturas para preservá-las. Um dos pontos altos do projeto será o plantio de muitas espécies nativas da região, inclusive algumas que haviam desaparecidas daquela área.

Segundo o secretário estadual do Desenvolvimento Urbano, Ubirajara Barreto, a obra possibilitará boas perspectivas para o Estado. “A Orla mudará completamente para melhor o cenário daquela área que não para de se expandir, potencializando o progresso e gerando desenvolvimento econômico e social para a região, sem contar que Aracaju terá mais um belo cartão postal”, avalia.