Inicio / Notícias / desenvolvimento
Notícia
Sedetec e IPTI apresentam ao setor industrial tecnologias sociais implantadas em Sergipe
O trabalho é desenvolvido desde 2010, em Santa Luzia do Itanhy
Terça-Feira, 22 de Novembro de 2022

Com o intuito de apresentar o modelo de transformação social que está sendo realizado em Santa Luzia do Itanhy a Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico e da Ciência e Tecnologia (Sedetec), em parceria com Instituto de Pesquisa em Tecnologia e Inovação (IPTI), ofereceu um café da manhã para algumas indústrias instaladas em Sergipe. O encontro ocorreu na manhã desta terça-feira (22), na sala de convenção do Neo Office Jardins, em Aracaju. 

O trabalho, que é desenvolvido no município sergipano pelo IPTI desde 2010, é estruturado em um conjunto de Tecnologias Sociais voltado para as áreas de educação básica e empreendedora, e saúde, com um olhar de escalabilidade, sustentabilidade e orientadas a negócios sociais. As Tecnologias Sociais de Santa Luzia já beneficiaram mais de 40 municípios, em nove estados brasileiros. 

O secretário da Sedetec, José Augusto Carvalho, agradeceu a presença de todos e destacou a parceria entre a organização e o Governo do Estado. “O IPTI é uma organização que nos orgulhamos muito por ser estruturada no estado, e que tem mudado a realidade de Santa Luzia do Itanhy, através da transformação social. Essa parceria tem nos rendido muitos frutos ao longo dos anos. Desejamos que a partir desse encontro com empresas sergipanas, novas parcerias sejam firmadas”, pontuou. 

Durante o café da manhã, as empresas puderam compartilhar experiências reais e vislumbrar oportunidades de parcerias junto ao IPTI. O diretor de Relações Governamentais da Unigel, Eduardo Barreto, agradeceu o convite e ressaltou os trabalhos de cunho social que são apoiados pela companhia. “A Unigel já possui conduta de apoiar projetos com o viés social. Os projetos que foram apresentados hoje, tem tudo a ver com esse princípio de responsabilidade social da empresa”, afirmou.

O desejo da organização é que esse encontro com o empresariado sergipano ocorra anualmente e com a presença de representantes de todas as empresas que estão instaladas no estado. “A expectativa desse tipo de encontro é poder divulgar e atrair mais parceiros para as iniciativas que já são feitas pelo IPTI em Santa Luzia e, também, em outros municípios do estado. A ideia é que haja um envolvimento maior de todos os empresários na construção coletiva de uma solução, que leve desenvolvimento humano para todos os municípios”, comentou o presidente do IPTI, Rodrigo Almeida.

Sobre o IPTI

O IPTI é uma entidade sem fins lucrativos, que começou a dar seus primeiros passos em outubro de 2003, na cidade de São Paulo. Em 2009, a organização fincou sua sede para Santa Luzia do Itanhy, sul de sergipano, um dos municípios com menores Índices de Desenvolvimento Humano (IDH) do Brasil. 

A partir disso, o IPTI visa, junto à comunidade local, gerar soluções que sejam eficazes em contextos de extrema vulnerabilidade e que tenham potencial de escala. Ou seja, tudo acontece fundamentado em Santa Luzia. Depois de criadas, geradas e sistematizadas, as tecnologias sociais desenvolvidas naquela região estão prontas para re-aplicação em qualquer parte do planeta. 

Notícia
/ Notícias / desenvolvimento

Sedetec e IPTI apresentam ao setor industrial tecnologias sociais implantadas em Sergipe
O trabalho é desenvolvido desde 2010, em Santa Luzia do Itanhy
Terça-Feira, 22 de Novembro de 2022

Com o intuito de apresentar o modelo de transformação social que está sendo realizado em Santa Luzia do Itanhy a Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico e da Ciência e Tecnologia (Sedetec), em parceria com Instituto de Pesquisa em Tecnologia e Inovação (IPTI), ofereceu um café da manhã para algumas indústrias instaladas em Sergipe. O encontro ocorreu na manhã desta terça-feira (22), na sala de convenção do Neo Office Jardins, em Aracaju. 

O trabalho, que é desenvolvido no município sergipano pelo IPTI desde 2010, é estruturado em um conjunto de Tecnologias Sociais voltado para as áreas de educação básica e empreendedora, e saúde, com um olhar de escalabilidade, sustentabilidade e orientadas a negócios sociais. As Tecnologias Sociais de Santa Luzia já beneficiaram mais de 40 municípios, em nove estados brasileiros. 

O secretário da Sedetec, José Augusto Carvalho, agradeceu a presença de todos e destacou a parceria entre a organização e o Governo do Estado. “O IPTI é uma organização que nos orgulhamos muito por ser estruturada no estado, e que tem mudado a realidade de Santa Luzia do Itanhy, através da transformação social. Essa parceria tem nos rendido muitos frutos ao longo dos anos. Desejamos que a partir desse encontro com empresas sergipanas, novas parcerias sejam firmadas”, pontuou. 

Durante o café da manhã, as empresas puderam compartilhar experiências reais e vislumbrar oportunidades de parcerias junto ao IPTI. O diretor de Relações Governamentais da Unigel, Eduardo Barreto, agradeceu o convite e ressaltou os trabalhos de cunho social que são apoiados pela companhia. “A Unigel já possui conduta de apoiar projetos com o viés social. Os projetos que foram apresentados hoje, tem tudo a ver com esse princípio de responsabilidade social da empresa”, afirmou.

O desejo da organização é que esse encontro com o empresariado sergipano ocorra anualmente e com a presença de representantes de todas as empresas que estão instaladas no estado. “A expectativa desse tipo de encontro é poder divulgar e atrair mais parceiros para as iniciativas que já são feitas pelo IPTI em Santa Luzia e, também, em outros municípios do estado. A ideia é que haja um envolvimento maior de todos os empresários na construção coletiva de uma solução, que leve desenvolvimento humano para todos os municípios”, comentou o presidente do IPTI, Rodrigo Almeida.

Sobre o IPTI

O IPTI é uma entidade sem fins lucrativos, que começou a dar seus primeiros passos em outubro de 2003, na cidade de São Paulo. Em 2009, a organização fincou sua sede para Santa Luzia do Itanhy, sul de sergipano, um dos municípios com menores Índices de Desenvolvimento Humano (IDH) do Brasil. 

A partir disso, o IPTI visa, junto à comunidade local, gerar soluções que sejam eficazes em contextos de extrema vulnerabilidade e que tenham potencial de escala. Ou seja, tudo acontece fundamentado em Santa Luzia. Depois de criadas, geradas e sistematizadas, as tecnologias sociais desenvolvidas naquela região estão prontas para re-aplicação em qualquer parte do planeta.