Inicio / Notícias / desenvolvimento
Notícia
Órgãos se reúnem para falar sobre segurança hídrica do estado
Temperaturas devem subir e nível de água diminuir no verão sergipano
Sexta-Feira, 19 de Novembro de 2021

Uma reunião importante para olhar o quadro hídrico e meteorológico de Sergipe. O encontro entre os órgãos responsáveis por avaliar os gráficos ocorreu na manhã de hoje, 19, na Superintendência Especial de Recursos Hídricos e Meio Ambiente (Serhma). Os profissionais dos órgãos públicos se reuniram para avaliar os níveis dos reservatórios monitorados no estado e discutir estratégias para o gerenciamento dos recursos hídricos, mediante as previsões climáticas e meteorológicas para os meses de novembro, dezembro e janeiro.

O superintendente especial de Recursos Hídricos e Meio Ambiente, Ailton Rocha, ressalta que essa reunião é realizada mensalmente para avaliar a situação hídrica de Sergipe, principalmente em relação à água armazenada nos reservatórios monitorados quinzenalmente. “De acordo com análises feitas nos dados do monitoramento, dois dos reservatórios analisados encontram-se em estado de atenção para a segurança hídrica, com volumes abaixo de 50%, nos municípios de Itabaiana e nos entornos de Areia Branca e Malhador”, explica.

O superintendente acrescenta ainda que esses boletins norteiam ações preventivas entre os órgãos envolvidos. “A partir desse monitoramento, nos reunimos para fazemos uma apresentação das condições hidrológicas dos reservatórios, onde avaliamos o nível em que se encontram. Por exemplo, na reunião de hoje percebemos que o Jacarecica I e o Poço da Ribeira estão em estágio de atenção, isso significa que a gente precisa elaborar uma portaria, informando aos usuários sobre algumas medidas que precisam ser tomadas. Na parte de operação, tanto a Cohidro como a Deso tomam consciência também de como operacionalizar os seus sistemas, a partir do estágio em que os reservatórios se encontram” detalha.

O Departamento Estadual de Proteção e Defesa Civil do Estado (Depec) tem a função de mitigar os efeitos dos impactos dessa escassez hídrica. De acordo com o diretor do Depec, o tenente coronel Luciano Queiroz, é hora de trabalhar a parte de prevenção e monitoramento dessas reservas dentro do Estado e iniciar planejamento de ações caso seja necessário tratar de assuntos relacionados a situação emergencial, para que as ações preventivas sejam feito, no intuito de mitigar os efeitos de algum colapso hídrico no estado. “Importante conhecermos a situação hídrica e meteorológica, até mesmo para trabalhar uma das ações principais da Defesa Civil que é a parte preventiva. Como a gente tem os prognósticos dos meses subsequentes, que são novembro, dezembro e janeiro, nós já percebemos que haverá uma diminuição considerável na pluviosidade em nosso Estado, então é preparar ações para diminuir os efeitos de uma seca, até chegar a quadra chuvosa”, relata.

Verão em Sergipe

Segundo o a Coordenadoria de Meteorologia e Mudanças Climáticas – CMT, pelas tendências analisadas, as temperaturas tendem a aumentar com a chegada do verão e diminuição das chuvas. Os termômetros devem registrar temperaturas mais altas no Agreste e Semiárido, por condições de maiores quantidades de radiação e devem marcar temperaturas mais amenas no litoral, por efeitos de advecção (ventos e brisa marítima). Até o final de janeiro as temperaturas tendem a se elevar em todo o Estado, completando a transição das estações primavera para verão.

O superintendente tranquiliza a população e informa que o Estado segue monitorando e a próxima reunião acontecerá dia 17 de dezembro. “Estamos nos reunindo mensalmente para tratar dessas questões, isso se chama gestão proativa, onde você trabalha a partir de um planejamento e a grande vantagem disso é que, de forma proativa, você pode ir minimizando os efeitos da escassez hídrica, sem causar maiores problemas”, conclui Ailton Rocha.

Notícia
/ Notícias / desenvolvimento

Órgãos se reúnem para falar sobre segurança hídrica do estado
Temperaturas devem subir e nível de água diminuir no verão sergipano
Sexta-Feira, 19 de Novembro de 2021

Uma reunião importante para olhar o quadro hídrico e meteorológico de Sergipe. O encontro entre os órgãos responsáveis por avaliar os gráficos ocorreu na manhã de hoje, 19, na Superintendência Especial de Recursos Hídricos e Meio Ambiente (Serhma). Os profissionais dos órgãos públicos se reuniram para avaliar os níveis dos reservatórios monitorados no estado e discutir estratégias para o gerenciamento dos recursos hídricos, mediante as previsões climáticas e meteorológicas para os meses de novembro, dezembro e janeiro.

O superintendente especial de Recursos Hídricos e Meio Ambiente, Ailton Rocha, ressalta que essa reunião é realizada mensalmente para avaliar a situação hídrica de Sergipe, principalmente em relação à água armazenada nos reservatórios monitorados quinzenalmente. “De acordo com análises feitas nos dados do monitoramento, dois dos reservatórios analisados encontram-se em estado de atenção para a segurança hídrica, com volumes abaixo de 50%, nos municípios de Itabaiana e nos entornos de Areia Branca e Malhador”, explica.

O superintendente acrescenta ainda que esses boletins norteiam ações preventivas entre os órgãos envolvidos. “A partir desse monitoramento, nos reunimos para fazemos uma apresentação das condições hidrológicas dos reservatórios, onde avaliamos o nível em que se encontram. Por exemplo, na reunião de hoje percebemos que o Jacarecica I e o Poço da Ribeira estão em estágio de atenção, isso significa que a gente precisa elaborar uma portaria, informando aos usuários sobre algumas medidas que precisam ser tomadas. Na parte de operação, tanto a Cohidro como a Deso tomam consciência também de como operacionalizar os seus sistemas, a partir do estágio em que os reservatórios se encontram” detalha.

O Departamento Estadual de Proteção e Defesa Civil do Estado (Depec) tem a função de mitigar os efeitos dos impactos dessa escassez hídrica. De acordo com o diretor do Depec, o tenente coronel Luciano Queiroz, é hora de trabalhar a parte de prevenção e monitoramento dessas reservas dentro do Estado e iniciar planejamento de ações caso seja necessário tratar de assuntos relacionados a situação emergencial, para que as ações preventivas sejam feito, no intuito de mitigar os efeitos de algum colapso hídrico no estado. “Importante conhecermos a situação hídrica e meteorológica, até mesmo para trabalhar uma das ações principais da Defesa Civil que é a parte preventiva. Como a gente tem os prognósticos dos meses subsequentes, que são novembro, dezembro e janeiro, nós já percebemos que haverá uma diminuição considerável na pluviosidade em nosso Estado, então é preparar ações para diminuir os efeitos de uma seca, até chegar a quadra chuvosa”, relata.

Verão em Sergipe

Segundo o a Coordenadoria de Meteorologia e Mudanças Climáticas – CMT, pelas tendências analisadas, as temperaturas tendem a aumentar com a chegada do verão e diminuição das chuvas. Os termômetros devem registrar temperaturas mais altas no Agreste e Semiárido, por condições de maiores quantidades de radiação e devem marcar temperaturas mais amenas no litoral, por efeitos de advecção (ventos e brisa marítima). Até o final de janeiro as temperaturas tendem a se elevar em todo o Estado, completando a transição das estações primavera para verão.

O superintendente tranquiliza a população e informa que o Estado segue monitorando e a próxima reunião acontecerá dia 17 de dezembro. “Estamos nos reunindo mensalmente para tratar dessas questões, isso se chama gestão proativa, onde você trabalha a partir de um planejamento e a grande vantagem disso é que, de forma proativa, você pode ir minimizando os efeitos da escassez hídrica, sem causar maiores problemas”, conclui Ailton Rocha.