Inicio / Notícias / desenvolvimento
Notícia
Governo colocará boias absorventes em rios sergipanos para conter a chegada de óleo
Até amanhã, equipamentos oriundos de Pernambuco e Maranhão chegarão no Estado e serão implantados
Terça-Feira, 08 de Outubro de 2019

Após a visita do ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, na tarde da segunda-feira (07), o qual anunciou que o Governo Federal continuará colocando à disposição do governo sergipano equipamentos e técnicos que trabalharão na retirada do óleo da costa, o Governo de Sergipe reforçará medidas de contenção do petróleo cru que vem atingindo todo o litoral nordestino desde o início do mês de setembro.

De o acordo com o secretário Estadual do Desenvolvimento Urbano e Sustentabilidade, Ubirajara Barreto, as novas ações objetivam evitar que as águas fluviais sejam atingidas. "Ontem o Gabinete de Crise criado pelo Governo do Estado realizou mais uma reunião e, entre as decisões tomadas, acionamos os órgãos e empresas que possuem maior expertise no assunto para a contenção e não contaminação dos nossos rios, uma vez que envolve o abastecimento humano. Em breve serão instaladas boias absorventes a fim de que a substância não adentre nos nossos rios, a exemplo do Vaza Barris, Sergipe, São Francisco, Japaratuba e do Rio Real", explica.

De acordo com o Diretor-Presidente da Adema, Gilvan Dias, o trabalho de contenção faz parte da decretação de emergência pelo Governo do Estado. "Por conta do Plano de Emergência Individual (PEI), que é encaminhado para algumas empresas no sentido de que elas atendam às necessidades solicitadas, até a quarta-feira, 09, a Petrobras está providenciando barreiras absorventes (boias) que estão vindo dos Estados do Pernambuco e Maranhão e serão instaladas em pontos estratégicos dos rios, já mapeados pelas nossas equipes", exemplifica.

Gilvan Dias diz ainda que as ações de monitoramento no litoral continuam sendo executadas. "Estamos com quatro equipes trabalhando, duas no Litoral Sul e duas no Litoral Norte, que além do mapeamento das manchas nas praias, estão realizando um trabalho de educação ambiental com a população que vai encontrando nas áreas monitoradas, alertando-as para não manterem contato físico com a substância, além das equipes de retirada do material na faixa de areia", enfatiza.