Inicio / Notícias / Saúde
Notícia
Técnicos de Enfermagem são essenciais nos serviços do Samu
“Sem eles seria impossível operacionalizar e dar suporte à população", diz Kelly dos Santos Cruz, gerente de Enfermagem do Samu.
Quinta-Feira, 20 de Maio de 2021

A atuação do Samu em Sergipe é amplamente reconhecida pela população. Os diversos serviços ofertados tem como principal missão salvar vidas. Para que todo o fluxo de atendimento ocorra da melhor maneira, dentre os profissionais que integram as equipes de atendimento, o técnico de enfermagem tem um papel imprescindível. Segundo Kelly dos Santos Cruz, gerente de Enfermagem do Samu, em Sergipe são 454 técnicos de enfermagem, distribuídos na capital e nas regionais do interior. Em Aracaju, estão presentes nas Unidades de Suporte Móveis que se dividem em Unidades de Suporte Básico (USB), Unidades de Suporte Avançado (USA) e Motolância. Além disso, também estão à frente da logística (montagem de viaturas), almoxarifado e na Central de Distribuição de Materiais (CDM). Nas bases do interior atual nas USA e USB. 

“São essenciais em todos os setores. Sem eles seria impossível operacionalizar e dar suporte à população. Por exemplo, na USB vão o condutor e um técnico, algumas funções no atendimento são realizadas somente por eles. São os técnicos de enfermagem que pilotam as motolâncias, ou seja, para a engrenagem do Samu funcionar precisamos muito desses profissionais”, explica a Gerente de Enfermagem. 

Para quem é profissional da área faz treze anos, onze deles dedicados a um serviço com grande responsabilidade social, como é o caso dos serviços prestados pelo Samu, o trabalho vai além de executar técnicas de enfermagem. “É olhar com cuidado para o filho de alguém. O pai e a mãe de alguém. O marido ou esposa de alguém. O paciente é uma pessoa importante para alguém. É o amor de alguém. É essa percepção que me fez e ainda me faz prestar assistência com humanização a cada paciente”, fala Cleston Soares, conhecido pelos amigos e colegas como ”Blade Samu”. 

O profissional que carrega, no apelido, o orgulho de trabalhar no  Serviço de Atendimento Móvel de Urgência como Técnico de Enfermagem relatou que seguir o ofício dentro do Samu foi a realização de um sonho.  “Desde que ingressei no Samu Sergipe, pude percorrer todo o estado realizando atendimentos à população em todo o nosso território. Eu tive a oportunidade de trabalhar não somente nas ambulâncias, mas também nas motolâncias. Eu me sinto privilegiado por atuar junto de equipes tão engajadas em prestar atendimentos pré-hospitalares com excelência”, compartilha Cleston. 

A mesma sensação é compartilhada pela Técnica de Enfermagem Vanessa Santos que também atua no Samu há 11 anos. “É um desafio muito grande, mas a gente faz com muito amor, empatia e ética. Nós técnicos, estamos aqui para dar à população, mais tranquilidade oferecendo um serviço de qualidade e com muita competência. O meu papel no momento do atendimento é dar suporte básico de vida, fazendo os primeiros atendimentos e, caso o paciente precise de um suporte mais avançado, a gente solicita”, destaca Vanessa. 

Para quem atua na área ou pensa em ingressar, a experiente técnica de enfermagem Vanessa aconselha: “Sejam empáticos e não parem de estudar. Todos os dias as coisas mudam, todos os dias vemos práticas novas. Saúde é coisa séria e cada segundo perdido pode ser uma vida que você não conseguirá salvar”, conclui. 

Em todos os relatos das personagens desta matéria, um único sentimento: gratidão. “Ser técnico de enfermagem no Samu, é você ser o próprio SUS indo ao encontro de cada paciente para oferecer o melhor de si. Hoje, no dia do técnico de enfermagem, sou só gratidão ao universo por me proporcionar tamanha oportunidade”, expõe Cleston Soares.

“Eu também sou técnica de enfermagem e tenho muito orgulho em dizer isso. Nessa data que nos homenageia quero reforçar a minha gratidão, principalmente, porque estamos passando por uma pandemia. São muitos momentos alegres e tristes, mas o trabalho do técnico de enfermagem é primordial para superar todos eles. Obrigada!”, finaliza Kelly, Gerente de Enfermagem do Samu Sergipe. 

Notícia
/ Notícias / Saúde

Técnicos de Enfermagem são essenciais nos serviços do Samu
“Sem eles seria impossível operacionalizar e dar suporte à população", diz Kelly dos Santos Cruz, gerente de Enfermagem do Samu.
Quinta-Feira, 20 de Maio de 2021

A atuação do Samu em Sergipe é amplamente reconhecida pela população. Os diversos serviços ofertados tem como principal missão salvar vidas. Para que todo o fluxo de atendimento ocorra da melhor maneira, dentre os profissionais que integram as equipes de atendimento, o técnico de enfermagem tem um papel imprescindível. Segundo Kelly dos Santos Cruz, gerente de Enfermagem do Samu, em Sergipe são 454 técnicos de enfermagem, distribuídos na capital e nas regionais do interior. Em Aracaju, estão presentes nas Unidades de Suporte Móveis que se dividem em Unidades de Suporte Básico (USB), Unidades de Suporte Avançado (USA) e Motolância. Além disso, também estão à frente da logística (montagem de viaturas), almoxarifado e na Central de Distribuição de Materiais (CDM). Nas bases do interior atual nas USA e USB. 

“São essenciais em todos os setores. Sem eles seria impossível operacionalizar e dar suporte à população. Por exemplo, na USB vão o condutor e um técnico, algumas funções no atendimento são realizadas somente por eles. São os técnicos de enfermagem que pilotam as motolâncias, ou seja, para a engrenagem do Samu funcionar precisamos muito desses profissionais”, explica a Gerente de Enfermagem. 

Para quem é profissional da área faz treze anos, onze deles dedicados a um serviço com grande responsabilidade social, como é o caso dos serviços prestados pelo Samu, o trabalho vai além de executar técnicas de enfermagem. “É olhar com cuidado para o filho de alguém. O pai e a mãe de alguém. O marido ou esposa de alguém. O paciente é uma pessoa importante para alguém. É o amor de alguém. É essa percepção que me fez e ainda me faz prestar assistência com humanização a cada paciente”, fala Cleston Soares, conhecido pelos amigos e colegas como ”Blade Samu”. 

O profissional que carrega, no apelido, o orgulho de trabalhar no  Serviço de Atendimento Móvel de Urgência como Técnico de Enfermagem relatou que seguir o ofício dentro do Samu foi a realização de um sonho.  “Desde que ingressei no Samu Sergipe, pude percorrer todo o estado realizando atendimentos à população em todo o nosso território. Eu tive a oportunidade de trabalhar não somente nas ambulâncias, mas também nas motolâncias. Eu me sinto privilegiado por atuar junto de equipes tão engajadas em prestar atendimentos pré-hospitalares com excelência”, compartilha Cleston. 

A mesma sensação é compartilhada pela Técnica de Enfermagem Vanessa Santos que também atua no Samu há 11 anos. “É um desafio muito grande, mas a gente faz com muito amor, empatia e ética. Nós técnicos, estamos aqui para dar à população, mais tranquilidade oferecendo um serviço de qualidade e com muita competência. O meu papel no momento do atendimento é dar suporte básico de vida, fazendo os primeiros atendimentos e, caso o paciente precise de um suporte mais avançado, a gente solicita”, destaca Vanessa. 

Para quem atua na área ou pensa em ingressar, a experiente técnica de enfermagem Vanessa aconselha: “Sejam empáticos e não parem de estudar. Todos os dias as coisas mudam, todos os dias vemos práticas novas. Saúde é coisa séria e cada segundo perdido pode ser uma vida que você não conseguirá salvar”, conclui. 

Em todos os relatos das personagens desta matéria, um único sentimento: gratidão. “Ser técnico de enfermagem no Samu, é você ser o próprio SUS indo ao encontro de cada paciente para oferecer o melhor de si. Hoje, no dia do técnico de enfermagem, sou só gratidão ao universo por me proporcionar tamanha oportunidade”, expõe Cleston Soares.

“Eu também sou técnica de enfermagem e tenho muito orgulho em dizer isso. Nessa data que nos homenageia quero reforçar a minha gratidão, principalmente, porque estamos passando por uma pandemia. São muitos momentos alegres e tristes, mas o trabalho do técnico de enfermagem é primordial para superar todos eles. Obrigada!”, finaliza Kelly, Gerente de Enfermagem do Samu Sergipe.