Inicio / Notícias / Saúde
Notícia
Mães confeccionam gorros natalinos para filhos internados na CTI Pediátrica do Huse
O projeto usa a arte para elaborar todo o momento que essas mães estão vivendo, o quadro de saúde das crianças, a separação dos filhos, além de ser uma iniciativa que está levando conhecimento, autoconhecimento e o autocrescimento para os acompanhantes
Quarta-Feira, 18 de Dezembro de 2019

O Projeto ‘Superação”, criado por uma psicóloga da CTI Pediátrica do Hospital de Urgência de Sergipe (Huse), unidade gerenciada pela Secretaria de Estado da Saúde ( SES), preparou mais uma atividade para as mães dos pequenos pacientes internados. O projeto usa a arte para elaborar todo o momento que essas mães estão vivendo, o quadro de saúde das crianças, a separação dos filhos, além de ser uma iniciativa que está levando conhecimento, autoconhecimento e o autocrescimento para os acompanhantes que muitas vezes estão angustiados por causa da internação dos filhos.

Com a proximidade do Natal, a psicóloga da CTI Pediátrica do Huse, Carmem Cecília Tavares, desenvolveu uma oficina para confecção de gorros natalinos para os pequenos pacientes internados na unidade. “Elas confeccionaram o gorro do Papai Noel e colocaram todo o amor que elas sentem de forma muito especial com o tema natalino, essa data sensibiliza muito. Eu já trago o gorrinho pronto e elas decoram e pintam do jeito que elas querem”, explicou a psicóloga.

Para as mães desses pacientes, foi um momento de interação entre elas e os profissionais. Emocionadas, elas destacaram o significado daquele momento. “Meu filho tem só um ano e seis meses e está internado, eu estou caprichando para que ele fique muito feliz quando acordar. O coração fica apertado e a gente acaba se distraindo com essas atividades”, declarou Ana Luzia Bispo, mãe do pequeno J.B.

O paciente B.C, um ano e cinco meses, está internado e a mãe dele, a dona de casa Andressa Chagas, 23, está aos cuidados do pequeno paciente e ansiosa pela sua recuperação. “Eu não vejo a hora de poder levar o meu filho pra casa. Sei que ele está grave e lutando para viver. Fiz esse gorro com tanto amor e caprichei muito, espero que ele goste pois é um trabalho lindo que a psicóloga faz com a gente, ela nos dá ainda mais força para superar esse momento que estamos vivendo”, comentou.

Para Gilza Souza, tia e acompanhante do pequeno E.S, 3, disse que caprichou na surpresa para o sobrinho. “Gostei muito em poder participar dessa atividade que é muito especial. Vamos passar o Natal com o nosso pequeno internado, mas, Deus sabe que o nosso coração estará unido. Que ele possa se recuperar logo e brincar que é o que ele mais gosta de fazer”, disse a tia.

Notícia
/ Notícias / Saúde

Mães confeccionam gorros natalinos para filhos internados na CTI Pediátrica do Huse
O projeto usa a arte para elaborar todo o momento que essas mães estão vivendo, o quadro de saúde das crianças, a separação dos filhos, além de ser uma iniciativa que está levando conhecimento, autoconhecimento e o autocrescimento para os acompanhantes
Quarta-Feira, 18 de Dezembro de 2019

O Projeto ‘Superação”, criado por uma psicóloga da CTI Pediátrica do Hospital de Urgência de Sergipe (Huse), unidade gerenciada pela Secretaria de Estado da Saúde ( SES), preparou mais uma atividade para as mães dos pequenos pacientes internados. O projeto usa a arte para elaborar todo o momento que essas mães estão vivendo, o quadro de saúde das crianças, a separação dos filhos, além de ser uma iniciativa que está levando conhecimento, autoconhecimento e o autocrescimento para os acompanhantes que muitas vezes estão angustiados por causa da internação dos filhos.

Com a proximidade do Natal, a psicóloga da CTI Pediátrica do Huse, Carmem Cecília Tavares, desenvolveu uma oficina para confecção de gorros natalinos para os pequenos pacientes internados na unidade. “Elas confeccionaram o gorro do Papai Noel e colocaram todo o amor que elas sentem de forma muito especial com o tema natalino, essa data sensibiliza muito. Eu já trago o gorrinho pronto e elas decoram e pintam do jeito que elas querem”, explicou a psicóloga.

Para as mães desses pacientes, foi um momento de interação entre elas e os profissionais. Emocionadas, elas destacaram o significado daquele momento. “Meu filho tem só um ano e seis meses e está internado, eu estou caprichando para que ele fique muito feliz quando acordar. O coração fica apertado e a gente acaba se distraindo com essas atividades”, declarou Ana Luzia Bispo, mãe do pequeno J.B.

O paciente B.C, um ano e cinco meses, está internado e a mãe dele, a dona de casa Andressa Chagas, 23, está aos cuidados do pequeno paciente e ansiosa pela sua recuperação. “Eu não vejo a hora de poder levar o meu filho pra casa. Sei que ele está grave e lutando para viver. Fiz esse gorro com tanto amor e caprichei muito, espero que ele goste pois é um trabalho lindo que a psicóloga faz com a gente, ela nos dá ainda mais força para superar esse momento que estamos vivendo”, comentou.

Para Gilza Souza, tia e acompanhante do pequeno E.S, 3, disse que caprichou na surpresa para o sobrinho. “Gostei muito em poder participar dessa atividade que é muito especial. Vamos passar o Natal com o nosso pequeno internado, mas, Deus sabe que o nosso coração estará unido. Que ele possa se recuperar logo e brincar que é o que ele mais gosta de fazer”, disse a tia.